Muquirana,  Reflexões

A BOLA DE NEVE

Photo by Joanna Nix on Unsplash
Photo by Joanna Nix on Unsplash

Essa semana acabei de ler a biografia do Warren Buffett, chamada A Bola de Neve. Esse foi disparado o melhor livro que li no ano e tem lições que se aplicam a todo mundo. O livro não fala de finanças e sim da vida dele e das lições que ele aprendeu ao longo dos ano. Os princípios éticos, a disciplina e a retidão são um exemplo para todos. Vou detalhar algumas lições pontuais do livro que se aplicam a todos que buscam a independência financeira.

Margem de segurança

Cada vez que ele comprava uma ação ou um negócio, Buffett tinha sempre uma margem de segurança entre o preço que ele pagava e o que ele achava que o negócio valia, caso houvesse algum imprevisto no meio do caminho ou erro de cálculo. Isso fez com que ele abrisse mão de várias oportunidades de negócio, mas por outro lado evitou que tivesse perdas que ameaçassem a continuidade dos seus investimentos. Ao longo do livro percebe-se que ele tinha um perfil extremamente conservador e avesso a perdas. Por várias vezes ele aceitou que seu dinheiro ficasse parado em caixa rendendo pouco ao invés de “pular” nos investimentos da moda. Ele entrava quando tinha certeza que o investimento valeria a pena e era extremamente disciplinado com isso. Essa paciência e disciplina se pagaram no longo prazo.

Fique rico devagar

Essa é uma lição que ele prega aos quatro cantos do mundo mas a grande maioria das pessoas não gosta de ouvir. Buffett ficou rico pensando e investindo olhando para o longo prazo e usando o poder do reinvestimento para que sua riqueza crescesse como uma bola de neve. 

Ao longo da vida ele recusou várias oportunidades de negócio de curto prazo que garantiríam um ganho rápido especulativo. Seu perfil conservador e a margem de segurança mencionados acima têm como consequência esse enriquecimento lento mas sólido.

Círculo de Competências

Buffett só investia naquilo que ele entendia. Isso acabava limitando seus investimentos, mas fazia com que seus tiros fossem certeiros. Ele não tinha vergonha de falar “não entendo disso” ou de falar que algo era “muito difícil”. Antes de investir em algo ele estudava muito, muito mesmo até entender com minuncias o setor e o negócio. Veja que se você segue esse princípio se livra de vários investimentos da moda, fraudes e várias outras enrascadas. Você acabará sendo mais lento para investir e ficará rico devagar, porém terá poucas chances de fazer um julgamento errado e acabar com seu capital.

Qual é o propósito na vida?

Essa é uma pergunta que ele recebeu várias vezes ao longo da vida e que só na velhice, após o câncer da sua primeira esposa ele teve convicção em como responder. Para ele, nosso propósito na vida deve conseguir nos tornar amados por quem é importante para nós. Ele fala que podemos comprar muitas coisas com um cheque: sexo, companhia, respeito, etc, mas não conseguimos comprar amor com dinheiro. Só se consegue amor com dedicação, afeto e presença. Essa foi uma “capitulação” que ele teve ao ficar mais velho e se re-aproximar da família depois de tanto tempo focado nos negócios.

Só trabalhe para quem você admira

Á medida que o Buffett foi ficando famoso várias turmas de graduandos o chamava para discursar em suas formaturas. Ele sempre falava para os jovens trabalharem para pessoas que eles admiravam e para fazerem aquilo que eles gostavam. “Se você vai pro trabalho todo dia com o estômago embrulhado, alguma coisa está muito errada.” Na sua própria vida isso nem sempre foi assim. Logo quando ele se casou, teve que aguentar um emprego como corretor de ações, que ele odiava para sustentar a família, mas ele não descansou até conseguir se seu professor preferido o contratasse na sua empresa. O professor só contratava judeus para seu escritório, e Buffett foi o primeiro católico contratado após várias tentativas frustradas. Isso mostra que as circunstâncias nem sempre são favoráveis, mas você não pode desistir de ir atrás daquilo que quer na vida.

Achei o livro muito motivador para quem busca a independência financeira, pois vários princípios que ele prega acabamos praticando de uma forma ou de outra: foco no longo prazo, disciplina e apostar no poder do dinheiro reinvestido. O conceito dele de ir trabalhar dando pulos de alegria também é algo que muitos de nós buscamos. Quando não precisamos trabalhar por dinheiro podemos nos dedicar em algo que nos faz feliz.

Vocês se identificam com alguns dos conceitos dele? Acham aplicáveis ao dia a dia ou muito viajantes?

12 Comentários

  • Mais um Anônimo

    Ótimo post. Obrigado por essa síntese. A parte que acho desafiadora é a do círculo de competências. Pessoalmente acharia ótimo se tivesse a disposição de estudar muito e aprofundar a análise em cada ativo que invisto, mas isso exigiria uma quantidade de tempo muito grande (sem contar o acompanhamento do ativo). Pro Buffett esse era o ofício dele, né?
    Por isso, em termos de renda variável, utilizo o serviço das casas de research, que entregam já uma análise mastigada. Caso eu concorde com a análise, invisto.
    O que acham desses serviços de research? Eu assino Suno e Dicadehoje e gosto do que eles entregam.
    Vocês investem em renda variável?

    • sempresabado

      Oi Anon! Obrigada pelo comentário. Eu não invisto muito em renda variável justamente porque não tenho tempo de estudar as ações e não me interesso tanto pelo tema, dai eu acabo comprando ETF de S&P mesmo e as ações da empresa do Buffett (BRK). No Brasil a única ação que tenho é Itaú que comprei qdo o dividend yield bateu 7% num pânico, mas a análise foi exatamente essa, porca assim rsrs. Por essa “preguiça” minha acabo não consumindo research. Eu estou estudando muito fundos imobiliários ultimamente e me deparei com uns vídeos dessa Suno Research. Me pareceu bem feito, mas os vídeos grátis são superficiais, talvez o pago seja bem feito e assertivo. Se você gosta de ações deveria tirar uma empresa pra estudar de verdade, ler os relatórios que ela manda pra cvm, balanços, dre, etc. estou fazendo isso com os FII e acabo aprendendo muito de contabilidade. Claro que é um processo lento e de formiga, mas com o tempo vai acumulando o conhecimento e fica mais rápido. Acho que já passei fácil mais de 100 horas estudando coisas de renda fixa, que é o que acho mais legal, peguei uns livros e resolvi todos os exercícios, fiz curso, etc. agora os conceitos já estão no sangue. Talvez até o fim do ano eu esteja pro nos FIIs tb.
      Se vc curte ações invista nisso! Abraço!

  • Vida Sagaz

    Excelente livro, terminei de ler esta biblia em Abril/2019, com certeza entre os melhores livros que ja li, acho interessante a simplicidade que ele leva no dia-a-dia com gastos ínfimos em relação à seu patrimônio total, esta relação gastos/patrimônio resulta em um poder de reinvestimento e margem de manobra superpotencializados!!

    • sempresabado

      Que legal que vc leu o livro VS! Isso que vc comentou do Buffett ser frugalé muito verdade. Ele pode começar do zero a administrar o dinheiro dos amigos e primeiros clientes pq já tinha uma tranquilidade de gastar pouco e estar poupando desde criança. Ou seja, ele ficou rico de verdade depois que se tornou FIRE. Buffett é um de nós rsrs. Abraço

  • ABM

    Acho que os conceitos são bem aplicáveis sim! Admiro bastante a disciplina e a capacidade de trabalho do Warren Buffett. Acho que ele conquistou um certo patamar de liberdade para se dedicar ao que ele mais gostava de fazer e além disso definir seus próprios termos para isso. Acho que isso eh algo que ainda sinto um pouco de falta na comunidade FIRE. A jornada para se alcançar essa tão sonhada liberdade tem sido o foco, mas uma vez lá, isso por si só não é uma garantia de que as pessoas estarão bem. Escutei uma crítica do Ramit Sethi recentemente sobre essa questão e acho que foi bem pertinente os pontos levantados por ele.

    • sempresabado

      Oi ABM! Fiquei interessada nessa crítica do Rami Sethi. Onde vc escutou/leu?
      Esse ponto do “que vem depois” é bem crítico no FIRE. O sr Muquirano fala que “o piloto que se aposentou” está sempre infeliz e fica se questinando se faz sentido mudar de vida dado que temos uma vida boa. Ele é a favor de uma pausa por um tempo mas se questiona sobre como passar as varias décadas produtivas à frente. Eu sinceramente não tenho resposta, falei pra ele que temos que ir descobrindo ao longo do caminho.

      • ABM

        Aqui esta o link para a entrevista: https://www.madfientist.com/ramit-sethi-interview/. Ate revi uma certa antipatia que eu tinha pelo Ramit Seth. Acho que ele amadureceu, flexibilizou certos pontos de vista e eu tiro o chapeu para quem faz isso em público. Para mim o questionamento do sr muquirano eh super pertinente. Te digo que eu penso bastante sobre isso. A nossa grande aposta é que vamos encontrar um ponto de equilibrio entre varios aspectos importantes para nossa vida que hoje nao é possivel. Temos muitos planos que hoje nao é possivel colocar em prática. Enfim, é uma grande aposta mesmo, de que somos capazes de construir uma vida mais equilibrada e satisfatória. Independencia financeira é apenas uma condição mais favorável para isso. Vi o relato de muitas pessoas e famílias que estao colocpessoem prática muito mais do que almejamos sem essa segurança financeira que temos. Enfim, acho que eh preciso almejar algo para esta nova fase.

        • sempresabado

          Escutei o podcast e achei muito bom! Os pontos dele em relação aos FIREees depois do tão sonhado FIRE são muito válidos e pertinentes. É algo que eu mesma preciso considerar mais.
          A discussão sobre preço x valor também é muito interessante. Ótima dica ABM, obrigada!

  • Adriana

    Hehe, por coincidência comecei A bola de neve ontem! Vi a indicação no Valores Reais e fiquei curiosa. Estou no início, mas já achando muito bom. Justamente o maior interesse foi pela questão da frugalidade adotada pelo Buffett. Acho que quanto mais se lê sobre esse tipo de coisa, mais acabamos naturalmente aplicando na nossa vida, vamos internalizando e sem esforço aplicando.

    • sempresabado

      Que legal Adriana!
      Espero que você goste. Repare também que ele tem uma postura outsider, mesmo à medida que vai ficando rico se recusa a gastar com coisas que a sociedade esperava que uma pessoa com boas condições gastasse. Boa leitura! Abraço

  • Carlos

    Investir como buffett não é para qqr um não, investimento em valor é muito complexo, além de termos poucas oportunidades de compras, pois teríamos que comprar apenas quando os preços estiverem abaixo do valor intrínseco da empresa, o que ocorre muito raramente e é muito difícil de mensurar, apenas para gênios. Sem falar que buffett não compra ações para ser sócio, ele compra a maioria das ações para interferir na administração da empresa, por isso ele.fala que não compra ações de empresas que ele não conhece o setor. Certamente ele tem muitos bons hábitos para que possamos nos inspirar porém investir como ele é outra coisa. Já li o livro, excelente biografia.

    • sempresabado

      Oi Carlos! De fato nao é fácil aparecerem oportunidades de compra que satisfazem os critérios dele, tanto é que a Berkshire tem mais de 100 bilhoes de dólares em caixa (!) esperando a hora certa. Mais do que aplicar o valor intrinseco ou a margem de segurança, dificil é ter disciplina para esperar a hora certa. Esse é um grande exemplo para nós investidores mortais. um abraço!

Deixe uma resposta para Carlos Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.