Autoras,  Elsa,  FIRE,  Reflexões

“Amigos, estou aposentada!”

É curioso como a transição para a vida FIRE tem uma série de etapas que precisam ser cumpridas. Já atingimos o patrimônio, já bolamos um plano sobre o que faremos nesse início de vida FIRE. A próxima etapa é comunicar nossos amigos e familiares. E tem sido um momento extremamente desafiador!

Já ouvi relatos de várias pessoas da comunidade que se aposentaram mas não contaram para ninguém, justamente para evitar esse desafio. Mas eu não consigo ser assim. Como já disse várias vezes, eu acho que minha experiência FIRE é o maior presente que eu posso dar para meus amigos. Eu não conseguiria assistir em silêncio os meus amigos sofrendo com a corrida de ratos. Além disso, nossos planos para esse primeiro ano FIRE incluem viajar durante 1 ano. Então fingir que nada tinha acontecido com as nossas vidas seria impossível, rs. 

Assim, a nossa estratégia tem sido contar a história completa para as pessoas mais próximas agora. E depois, quando pedirmos demissão, vamos falar apenas que estamos tirando um ano sabático para as pessoas menos próximas. 

Nosso discurso para as pessoas mais próximas tem sido basicamente o seguinte: “a gente tem uma novidade para contar e estamos super felizes com isso! Vocês sabem que nos últimos anos a gente simplificou nossa vida, e tudo isso tinha como objetivo final a nossa independência financeira. E hoje finalmente podemos nos declarar aposentados! A gente não pretende ficar improdutivo, mas ainda não sabemos o que faremos. Vamos tirar um ano sabático e viajar. Aí decidiremos o que faremos na próxima etapa da nossa vida!”. 

O mais curioso é que quando anunciávamos “temos uma novidade!”, a grande maioria perguntava “vocês estão grávidos?”. Ficou bem claro pra mim que as pessoas sempre esperam que você cumpra certos papéis. TODOS os nossos familiares e amigos próximos sabem que filhos não estão nos nossos planos. Mas é impressionante como as pessoas ainda esperam que você cumpra com aquilo que é o seu “dever”. 

Mas tirado a decepção inicial com a nossa falta de vontade para reprodução, rs, as reações a esse discurso não poderiam ter sido mais variadas! 

As primeiras pessoas que contamos foi para a família do meu marido. A reação deles foi muito curiosa e inesperada. Eu achei que eles iriam querer saber detalhes do porque e como fizemos isso. Mas ao invés de direcionarem o foco para a gente, eles direcionaram o foco para eles mesmos e começaram a justificar porquê não pretendiam fazer o mesmo. Começaram a falar “eu não pretendo me aposentar, eu amo meu trabalho” ou “eu não conseguiria viajar por um ano, eu gosto mesmo é de tirar férias”. Realmente percebemos que estávamos invertendo o fluxo das coisas, dado que eles são mais velhos que nós e ainda não tinham se aposentado! Nossa reação foi acolher o desabafo deles e dizer que estava tudo bem, cada um levaria a vida de uma forma. Passado alguns dias da reação inicial, eles agora estão empolgados e felizes com os nossos planos. 

Depois disso contamos para os nossos amigos mais próximos. E esse foi sem dúvida o grupo mais fácil e mais gratificante. Todos eles sabiam o quanto o FIRE era a realização de um sonho para gente. A reação inicial foi de surpresa, admiração e alguns ficaram realmente emocionados! Recebemos muito carinho desse grupo e muita mensagem de apoio a nossa decisão. No final ficou claro que família a gente não escolhe, mas amigos são a família que escolhemos para gente. Nosso grau de afinidade com esse grupo de amigos é tão grande que eles rapidamente entenderam o que aquilo realmente significava para nós! E duas pessoas desse grupo tiveram a reação mais gratificante de todas: eles se inspiraram com a nossa decisão. Um deles está bem desmotivado no trabalho, então ele ficou aliviado de saber que a gente tinha encontrado uma rota de saída. Ele quis saber todos os detalhes e ficou convencido de que nosso plano faz muito sentido. O outro foi muito sincero em dizer que já estava fazendo as contas para a própria aposentadoria, mas que tinha ficado meio desmotivado nos últimos meses. Mas agora, com a notícia da nossa aposentadoria, ele e a esposa já marcaram um bate papo para avaliar de novo os gastos e retomarem os planos. É claro que eu não acho que a vida FIRE serve a todos. Mas para algumas pessoas faz muito sentido. Saber que eu pude ser a ponte para essas pessoas não poderia me deixar mais feliz! 

Por fim, deixamos por último o grupo que seria o mais desafiador de todos: a minha família! Eu tenho uma relação muito próxima com meu pai, então não conseguiria deixar ele desinformado sobre os meus planos. Mas  meu pai tinha os planos dele para minha vida, como todo pai. Além disso, a minha escolha de profissão e toda a minha carreira foi construída junto com ele. Saber que eu estava “desistindo” dela, parecia que eu estava abandonando o sonho que construímos juntos. Desde que comecei a minha jornada FIRE, ele foi informado mas deixava claro que não concordava com isso. E agora, quando eu contei que as coisas iriam se concretizar, a decepção dele era palpável. De início ele disse que me apoiaria. Um dia depois ele me ligou e disse que achava que eu estava fazendo uma grande besteira. Porém, para todos os argumentos dele do porquê meu plano não daria certo, eu tinha uma forma racional de rebater. Ele contou dos amigos que largaram tudo e foram atrás de um sonho, mas não deu certo. Aí eu falei que a diferença é que eles fizeram isso sem terem atingido a independência financeira antes, então eu estava mais segura desse erro. Ele contou sobre a inflação dos anos 80 e como todos perderam tudo. Aí eu rebati que tinha uma carteira diversificada e que dificilmente perderia tudo. E por fim, disse que eu não aguentaria viver com a perda de status perante a sociedade. E aqui ele pode até ter razão, mas eu disse que preferia arriscar ser feliz do que continuar sendo infeliz e evitar essa perda de status. Para minha surpresa, minha irmã ficou feliz e empolgada com a noticia! De certa forma, minha irmã fez um movimento semelhante há alguns anos, e largou a carteira assinada para empreender, o que deu muito certo. Então para ela, sair do trabalho não era uma loucura tão grande. Mas ela ainda custou a entender que estávamos nos “aposentando”, e ficou dando várias ideias de novos negócios que poderíamos começar.

A experiência de contar para as pessoas tem sido muito interessante. Por vezes, foi doloroso como com meu pai. Algumas vezes foi decepcionante, como com a família do meu marido. Mas em geral tem sido gratificante! O que temos aprendido nesse momento é acolher. Acolher a reação de cada um e aceitar que o que estamos anunciando não é fácil de entender. Pelo menos fica a certeza de que dessa vez estamos vivendo a vida como queremos, e não para cumprir com a expectativa dos outros. E não dizem que esse é o real segredo da felicidade? 

19 Comentários

  • Renato

    “perda de status perante a sociedade” – com todo respeito a seu pai, foda-se a sociedade….isto sim é o que deixa todo mundo na roda dos ratos…a maldita da sociedade.
    Foda-se o que a sociedade acha ou pensa, foda-se a opiniao da familia, dos amigos. Fuck Society é o novo movimento que vem crescendo e estou embracing junto com o FIRE movement agora.
    Fuck SOCIETY !!!!

    • sempresabado

      Hahaha gostei do seu desabafo Renato! Eu acho que viver conforme as suas regras pode te garantir uma vida mais feliz. Viver com base nas regras da sociedade só vai te garantir uma vida medíocre mesmo! Apoio seu movimento.

  • Simplicidade e Harmonia

    Elsa,

    Seu exemplo ter sido inspirador para um de seus amigos é algo muito bom, pois ele poderá ser também uma inspiração futuramente.

    Em relação as pessoas que criticaram, infelizmente a maioria ainda não entende, pois na sociedade em que vivemos, trabalhar das 8 às 18 até os 60, 70 anos é algo considerado normal e esperado. Por isso, livros como Pai Rico, Pai Pobre, Os Segredos da Mente Milionária e livros sobre investimentos são tão importantes.

    Abraços,

    • sempresabado

      Exato Rosana! Algumas amigas não tão próximas nunca entenderam bem porque eu vivia uma vida tão simples ganhando tão bem, mas quando leram esses livros, tiveram
      insigths valiosos sobre a própria vida. Tem coisas que as pessoas só vão entender quando chegarem no tempo dela! abs

  • Foco no Milhão

    Olá Elsa,

    Que relato! Gostei muito do seu post, muito mesmo!

    Muito interessante a reação das pessoas, principalmente da família do seu marido. Eu vejo muito esse tipo de reação, de quando se fala algo “superior” as pessoas entram no modo defensivo explicando do porque não estão nesse “status”.

    Outro ponto é sempre o custo afundado(sunk cost), as pessoas sempre caem nesse viés.

    Sobre os filhos, mesma coisa aqui. Qualquer “novidade” eles já acham que é filhos (Nós, como vocês, não temos pressa de colocarmos mais gente no mundo ahhaha)

    Fiquei imaginando quando chegar o meu momento de comunicar. Não sei se terei essa clareza como vocês, já que os planos não foram compartilhados com ninguém e aposentadoria na minha família é só aquela que recebe do governo depois dos seus 60 e poucos.

    Fiquei muito interessando sobre a viagem que vocês farão, pretendemos fazer algo similar. Vocês irão compartilhar em algum lugar ela (blog, Instagram, YouTube)?

    Desejo muito felicidade nessa nova fase FIRE!

    Abraços e sucesso!
    Foco no Milhão
    foconomilhao.com

    • sempresabado

      Oi FM! Modo defensivo é uma boa forma de colocar como a família do meu marido reagiu!
      Espero que vc consiga fazer uma transição suave tb! Eu sempre fui do estilo “minha vida é um livro aberto”, com os amigos mais próximos. Realmente tem amigos que me conhecem muito bem! Tem o lado bom e ruim disso. Já sofri críticas por ter falado demais e por um tempo tentei mudar. Mas hj aceito q essa é a minha personalidade! O lado bom disso tudo é q sinto que fiz amizades profundas com algumas pessoas e me alegra saber que elas me procuram quando precisam de abrir. Depois de um tempo você percebe que todo mundo tem teto de vidro, e os amigos de verdade não te julgam mais, mas te apoiam! Foi assim com a confissão da nossa aposentadoria.
      Agora família é outro bicho, rs. Eu perdi minha mãe aos 17 anos de idade. E partilhar dessa dor com a minha irmã e meu pai fez com q a gente se aproximasse e contasse muito com o afeto um do outro. Então eu não poderia tomar essa decisão sem comunica-los!
      Sobre a viagem, vou atualizando vocês por aqui! Não sou muito fã de redes sociais, nem tenho nenhuma. Acho que alguns casais que querem viajar acabam divulgando pra conseguir patrocínio. O bom de viajar FIRE é que eu não vou precisar de ninguém pagando minha viagem, então tira a necessidade de divulgação!
      Abs

  • Viver Sem Pressa

    Oi Elsa,

    Meu marido sempre fala que quando a gente compartilha algo que fazemos de diferente e se é algo muito legal, as pessoas começam a justificar.

    Eles sentem a necessidade de justificar o motivo de não fazer tal coisa, mesmo ninguém ter cobrado isso deles.

    Depois fiquei pensando se eu falaria ou não para a minha família. Minha mãe sabe, claro, mas o restante da minha família não têm ideia, então eu acho que não falaria nada. Se insistissem muito, falaria que mudei de profissão, que virei web designer, sei lá, algo que dá pra trabalhar de casa.

    Já meu marido fala que a parte boa de ser um pesquisador bolsista, é que ninguém tem grandes expectativas em relação a ele (minha sogra acha que ele não trabalha, que só estuda kkkk), então ele disse que quando virarmos FIRE, vai falar pra todo mundo que está desempregado hahaha.

    Beijos.

    • sempresabado

      Oi Yuka!
      Bem interessante essa ótica do seu marido! Realmente a gente toca nas feridas das pessoas as vezes né?
      Mas concordo com você! Com os amigos mais distantes ou familiares a gente vai falar q vamos tirar um sabático. Depois a gente pensa Oq vamos falar q estamos fazendo da vida! Meu marido já tem uma empresa dele, então talvez seja uma boa dizer q estamos nos dedicando a ela (Oq não vai ser mentira!).
      Beijos!

  • Vagabundo

    É que é mesmo muito estranho. Uma coisa é o povo saber que vc tá procurando isso, outra é vc conseguir e falar pra eles. Vc deve ser a aposentada mais jovem do Brasil. Já pensou nisso ? É muito pra cabeça. Os poucos que tentei falar sobre o assunto entraram na defensiva. Parece ser um comportamento muito comum. Um dia vou dar a real pra todo mundo, daqui a alguns anos, quando estarei numa idade onde nao é tao absurdo assim vc ser aposentado. Boa sorte !

    • sempresabado

      Oi Vagabundo! Realmente eu estou aos poucos me dando conta de quão rara foram as nossas escolhas e decisões nos últimos anos. Mas a alegria q eu estou sentindo nesse momento está tão grande q me dá a certeza de estar no meu caminho certo, apesar de estranho para muita gente, rs. Abs!

  • Vanessa T Santos

    Chega a ser engraçado como as pessoas são negativas quando damos passos positivos em nossas vidas. Aposto que se vc tivesse anunciado a tão desejada gravidez (por eles né kk), já iriam falar “nossa, agora sua vida vai mudar, é uma jornada muito difícil, sofrida, que dá gasto” kkkkkk.
    Curta bastante sua vida, vc merece, correu atrás, lutou, se empenhou e agora sorria: deu tudo certo 🙂

    • sempresabado

      Hahaha verdade Vanessa! Minha amiga q está grávida falou a mesma coisa. Essas demandas da sociedade não tem fim!
      Muito obrigada pelo apoio!

  • Paulo

    Que legal o seu post! Gostei muito de ler pois me deu uma visão diferente da que eu tinha a respeito da comunicação da meta FIRE e o eventual alcançar dessa meta.
    Já acompanho a Finansfera a alguns anos o que fez moldar o meu pensamento e para mim era senso comum que a FIRE não podia ser comunicada abertamente primeiro porque as pessoas não entenderiam(como aconteceu com você) e segundo por questões de segurança pessoal devido ao montante financeiro acumulado.
    Eu já tinha comigo que as únicas pessoas que eu iria comunicar seriam as que compartilham do mesmo objetivo que são meu irmão e um amigo do trabalho, porém seu post me fez repensar a respeito e quem sabe se eu expandir para mais pessoas eu possa fazer com que mais alguém se interesse pelo mesmo objetivo. Já seria uma imensa satisfação.
    Acho que por você ser mulher possa influenciar tbm por ser mais emocional e querer compartilhar mais sobre a vida. Homens são mais fechados em sua maioria(pelo menos os meus amigos )
    No mais agradeço por ter compartilhado o excelente post e parabéns pelo blog!

    • sempresabado

      Oi Paulo!
      Eu sou contra anunciar para o mundo q estou FIRE por questões de segurança mesmo. Não tenho redes sociais pelo mesmo motivo.
      Mas para um grupo seleto e próximo, acho q fez muito sentido o anúncio. Eu não ia bancar ficar mentindo para o meu pai toda vez q a gente se encontra (q é quase toda semana, rs, somos realmente próximos!).
      Mas vc tem razão sobre ser mulher! Eu consigo explicar bem melhor a nossa trajetória q meu marido. Uma vez li q os homens são analfabetos emocionais (espero q não se ofenda). Mas de fato vcs tem mais dificuldades em falar sobre emoções e colocar em palavras o que estão sentindo. Para mim foi mais fácil falar coisas do tipo “estamos muito felizes com a nossa decisão” ou “a gente se sentia sufocada pela rotina do trabalho”.
      Abs e obrigada pelos elogios!

  • Fulano da Silva

    Parabéns por ter chegado no objetivo de vcs, todos aqui sabemos o quão difícil é e são pouquíssimas as pessoas que conseguem, e se conseguem é pq são muito competentes.
    Eu farei diferente quando chegar a minha liberdade financeira, não contarei nem aos familiares próximos, direi que abri um negócio online e que presto serviços a empresas fora do país com esse negócio online.
    Assim não acharão estranho eu poder viver viajando, já que técnicamente trabalho online.
    Os motivos pra essa mentira são dois: segurança, não quero que meu patrimônio vire alvo de bandidos e o segundo motivo é que não quero parentes pedindo dinheiro e arrumando briga familiar pq eu não vou querer dar kkk.
    Abraço.

  • kspov

    Vou falar que esse blog é um dos mais legais da finansfera. Vcs abordam assuntos tão bacanas. Parabéns meninas. e faço votos para que não parem com o blog. uma delicia ler o ponto de vista de vcs e tb dos leitores.

    A Yuka tb é otima com os comentarios. Esse lance do marido em falar q está desempregado é otimo. Espanta a galera que pensa em pedir dinheiro ou que querem só meter o bedelho… pelo contrario. as pessoas passam a ter dó….kkkk

    Mas tenho algumas duvidas em relação aos seus amigos. Vc sentiu que algum deles ficou com uma pontinha de inveja? Pergunto isso pq em roda de amigos quando comentamos sobre independencia financeira muitos falam que amam trabalhar, que jamais deixariam de fazer o que fazem. Mas o que observo é que no fundo não há planejamento de guardar e investir bem seu dinheiro, e não querem abrir mão da vida boa que tem, para ter um futuro mais tranquilo. Então usam essas desculpas esfarrapadas. Tanto é verdade q quando sai o assunto mega sena, a gente sempre pergunta, se ganhasse 20 milhões de reais na loteria, vc pararia de trabalhar? De cada 10 pelo menos 9 dizem que sim, apenas 1 fala que continuaria a fazer o que faz. Por aí já percebe que o pessoal mente e mente muito….rsrs Juntar dinheiro e esperar o patrimonio crescer demora, abrir mão dos pequenos luxos que temos é complicado…. essa vida FIRE é para poucos.

    por incrivel que pareça a unica pessoa que eu contaria , seria para minha esposa. A gente guarda dinheiro, mas na cabeça dela é para aposentadoria. Que só vamos mexer com isso lá pelos nossos 65 ou 70 anos…Hoje temos 42. E quero trabalhar no máximo até os 50. Não faço ideia como ela vai reagir. é Workholic e nem passa pela cabeça dela ter um marido “sem fazer nada” dentro de casa. Mas um passo de cada vez!

    Que legal essa aventura de vcs em comunicar os amigos e parentes.

    Parabens… me divertindo com as historias do blog

    valeu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.