Elsa,  Gastos,  Transporte

Como gastar menos com transporte

building vintage bike monument
Foto por Gratisography em Pexels.com

Um dos nossos principais gastos é com transporte. E esse é um gasto que eu consegui reduzir bem ao me mudar para perto do trabalho e vender meu carro. Mas essa não é a única opção!

1/ Vender o seu carro

Já parou para pensar quanto o seu carro custa por ano? Fiz as contas abaixo com base no Chevrolet Onix Zero, que foi o carro mais vendido no Brasil em 2017.

– Custo da compra do carro ~ R$ 12.000,00

O preço de um Onix está ao redor de R$46 mil reais. Dada a taxa básica de juros (6,5%), esse dinheiro no banco renderia ao redor de R$250 reais por mês. Isso é um custo porque é o dinheiro que você deixa de ganhar! Além disso, um carro zero km deprecia muito rápido. Supondo uma taxa de depreciação ao redor de 20%, você já está gastando mais R$760 reais por mês. Sim, a depreciação é um custo para você, porque se você vender seu carro 1 ano depois, receberá 20% a menos do que pagou por ele!

– Custo do IPVA ~ R$ 1.800,00

– Custo do seguro (~ 5% do valor do carro) ~ R$ 2.300,00

– Estacionamento (mensalidade de R$300) ~ R$ 3.600,00

– Gasolina (média de 16 km por dia, R$4 por litro, 10 km rodados por litro ) ~ R$ 1.600,00

Ou seja: no nosso exemplo, o carro custa cerca de R$21.300,00 por ano! Ou R$1.775,00 por mês!

Se você mora longe do trabalho, as vezes compensa vender o carro para bancar morar num local mais próximo. Ou então vender o carro e utilizar meios alternativos de transporte, como a bicicleta ou transporte público. Até mesmo um Uber compartilhado pode ser mais barato do que ter o seu carro próprio. Vale fazer essa conta!

Se você busca mais inspiração para se livrar de vez do seu carro, veja o meu post Eu vs Carros!

2/ Se não der para vender o carro, compre um carro usado e pague a vista!

Dependendo do local onde você mora e se você precisa transportar pessoas da sua família com mobilidade um pouco mais limitada, o carro pode ser a única opção. Mas mesmo assim, evite ao máximo financiar a compra do carro pois os juros cobrados no financiamento são altíssimos, acima do dobro da taxa básica de juros. Sabe aquela história de que as vezes, ao financiar a compra de um carro, você acaba pagando o valor de dois carros? Pois é, verdade…

E muito menos compre um carro zero km. Ao sair da concessionária, o carro zero km já perde cerca de 20% do seu valor e os 3 primeiros anos de um veículo são o período em que um carro mais desvaloriza. Então a melhor opção é comprar um carro com 4 anos de uso, quando a taxa de depreciação já é bem menor.

Por fim, tente otimizar a compra do seu carro e escolha um econômico com base no (i) consumo de combustível por km rodado (ii) preço do seguro e (iii) custo do IPVA.

3/ Andar mais a pé

Conheço muita gente que tira o carro da garagem para ir até a padaria que fica a alguns blocos de casa. E acaba gastando gasolina e estacionamento à toa. Caminhar além de fazer bem para o seu bolso, faz bem para a saúde. É um ganha-ganha optar por ir a pé sempre que possível.

3/ Utilizar bicicletas comunitárias

Eu não tenho bicicleta própria, assim economizo no custo da compra e da manutenção. Mas utilizo muito as bicicletas comunitárias do Itaú e da Yellow. O Bradesco também oferece esse serviço! A assinatura dessas bicicletas comunitárias é super barata, e sem contar que pedalar também traz muitos ganhos a saúde.

4/ Utilizar mais o transporte público

Conheço muita gente que tem preconceito com o transporte público. Realmente andar de ônibus e metrô nos horários de pico não é das experiências mais agradáveis. Mas o transporte público pode te salvar do trânsito e te ajudar a economizar não só dinheiro, mas também tempo (que é outro recurso super escasso nas nossas vidas). Por fim, já deram chance ao transporte público aos finais de semana? É bem mais tranquilo, não tenha preconceito!

E aí? Topa viver sem carro?

Elsa

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.