Muquirana,  Reflexões

Dinheiro dos outros e medo de morrer

Photo by rawpixel on Unsplash

Sabe a sensação de gastar dinheiro porque alguém te empurrou algo que você não queria, mas não teve escolha?  Muito provavelmente você está sentindo na pele o conceito de dinheiro dos outros, ou “other people’s Money”. O Warren Buffett usa esse termo quando ele fala sobre usar o dinheiro alheio para construir riqueza para seus acionistas, mas no caso tem alguém construindo riqueza para si nas suas costas.

Abra a minha carteira e tire tudo o que quiser

Essa semana eu vivi o other people’s Money na medicina. Eu tive dores de estomago muito fortes e parei no pronto socorro, que é o paraíso do OPM. Ali como você “passou a carteirinha” o hospital se sente no direito de gastar o máximo de dinheiro da seguradora, e você, como não está gastando o seu dinheiro e não entende de medicina também não se opõe muito.

O plantonista achou que eu tinha risco de apendicite e pediu uma tomografia, vários exames de sangue e injetou remédios. Eu tinha uma inflamação perto do apêndice, mas que foi classificada como “virose” e deveria voltar se a dor não passasse em 48h.

O Sr. Muquirano ficou muito assustado e já marcou um médico para a 40ª hora seguinte. Fui ao dr. Gastro muito bem recomendado que achou “estranha” a inflamação sem apendicite e perguntou se eu tinha histórico de câncer na família. Gelei… Quando ele viu minha cara de susto falou que isso provavelmente ia sumir sozinho, mas me receitou um remédio de 300 reais que deveria tomar por 7 dias, pediu mais exames de sangue, uma colonoscopia e “já que você vai estar dormindo” uma endoscopia também. O problema é que meu convênio não cobria vários desses exames e saí com uma conta de 960 reais do laboratório além dos 800 reais da consulta! Umas 8 ou 10 horas depois a dor foi sumindo e no dia seguinte ela não voltou mais.

Aproveitando o embalo para só mais um examezinho

Fiz os exames, que foram super agressivos, e não deu nada. Fiquei feliz e aliviada, já que alguns dias atrás estava com medo de morrer com um câncer intestinal horrível, mas fiquei pensando: Era um médico de 800 reais, ele estava bem pago para poder me ver em um ou dois retornos. Não dava para ter receitado o remédio, esperado uns dias, pedido uns exames de sangue básicos e se estivesse estranho aí sim ter pedido a endoscopia e colonoscopia?! Não, porque afinal não era o dinheiro dele, e nem ele que ia fazer esse exame bizarro (sugiro que dêem um google em colonoscopia e vejam que mico atômico). Era OTHER PEOPLE’S MONEY, no caso MY MONEY!

Eu estou muito brava de não ter questionado mais o médico, de ter perguntado se era preciso aquilo tudo de uma vez, se não valia a pena esperar um pouco. Fiquei assustada com a situação toda e abri a carteira para o laboratório e o hospital tirassem o tanto que quisessem. Pior, também permiti que o sistema tirasse o dinheiro que quisesse do plano de saúde, alimentando um ciclo vicioso de aumentos no plano e pessoas que resolvem usar o que podem e o que não podem, porque afinal já estão pagando uma mensalidade alta mesmo.

E o medo de morrer nisso

Além do OPM outra coisa que me chocou muito foi o medo de ter uma doença grave com consequências imprevisíveis. Fiquei pensando que se estivesse com os dias contados como ia me arrepender de ter trabalhado “só mais um ano” antes de me jogar de vez na independência financeira e ter me divertido mais.

Quando você encara a morte como uma possibilidade real vai ver o que é importante de fato na sua vida. Estou tentando ver o lado positivo da experiência e abstrair do tempo e do dinheiro gastos atoa.

Muquirana

13 Comentários

  • AA40

    Noooosaaa que susto hein! Eu estaria tremendo até agora. Ainda bem que não era nada mas estes exames ai só de ouvir falar já fujo !!
    Nossos post hoje combinaram. Atualizei seu endereço no nosso roll ! Abcs

    • sempresabado

      Nem fala! nessas horas do aperto é que a gente dá valor a saúde.. obrigada por atualizar o blogroll. Abs!

  • ABM

    Eu entendo sua frustração, pois a gente se sente completamente impotente e vulnerável em uma situação como esta. Apenas não se cobre, pois o sistema está estruturado para explorar as pessoas nesse momento. É difícil questionar tecnicamente um médico. Que bom que não é nada grave! Eu gosto muito de ouvir as aulas e meditações guiadas da Tara Brach. Ela tem boas reflexões sobre a impermanência da vida. Você pode acessar pelo youtube ou por podcast. Esse podcast contribui muito para consolidar minha prática de meditação.

    • sempresabado

      Olá ABM, obrigada pelas palavras carinhosas. Já assinei o podcast da Tara Brach, me pareceu muito legal. Vou começar a ouvir amanha mesmo, estava querendo ouvir um podcast diferente na minha pedalada pro trabalho. um abraço!

  • Executivo Investidor

    Fico feliz que só tenha sido um susto!
    Falando sobre o sistema de saúde brasileiro, infelizmente essa realidade é que faz o sistema público não funcionar e o sistema privado custar o olho da cara! A cultura de “gastar o dinheiro dos outros”. Qualquer coisa já nos enchem de exames caros e muitas vezes desnecessários. Alguém está pagando por isso seja o governo ou o plano é no final das contas quem paga mesmo é a população.
    Apenas como comparação, aqui no Canadá os médicos só indicam exames caros se realmente identificarem alto risco de gravidade ou tiverem um indicativo forte. Hoje em dia existem inúmeras formas de detectar algo anormal seja através de exames mais simples ou mesmo exames de sangue. Talvez por isso o governo aqui consegue fornecer um sistema de qualidade e gratuito para todos.
    Mas o problema é que não somos médicos e temos que confiar nas decisões e julgamentos dos médicos.

    Abraço!
    Executivo Investidor
    http://www.executivoinvestidor.com

    • sempresabado

      olá EI! exato, o sistema aqui está todo corrompido. Como em muitos países a saúde é pública, o governo tem que atender o maior número de pessoas com o menor valor possível, daí usam práticas mais racionais para pedir exames. Na média isso funciona muito bem! Óbvio que em uma minoria dos casos as pessoas nao vao ter virose e sim câncer mesmo e para essas pessoas algumas semanas a mais pode custar uma vida. Essa discussão é infinita e sem solução. Aqui no Brasil isso se tornou a judicialização da saúde, onde uma pessoa entra com uma liminar pedindo que o SUS pague um tratamento para algo raro que é o valor de um orçamento anual de uma cidade inteira no interior. E ai, quem está com a razão? Nossa, acho isso de fazer política pública muito difícil, principalmente aqui no Brasil onde todo mundo espera ter direito a absolutamente tudo.
      Um abraço!

  • sempresabado

    Caramba Muquirana! Que bom que não foi nada grave no final!

    Realmente bem bizarro esse custo todo à toa, é pra deixar a gente indignada mesmo. Antigamente eu sempre corria pro pronto socorro, era um pouco ansiosa com questões relacionadas à saúde. Mas desde que comecei a namorar com um filho de médico, essa necessidade foi diminuindo, dado que ele achava engraçado que eu ia pro hospital por conta de uma simples dor de garganta, rs. Acho que pais médicos ensinam os filhos a serem mais tolerantes a dor principalmente porque conhecem os riscos de um mal atendimento e de fazer exames desnecessários.

    Ainda sobre isso, essa semana assisti ao documentário novo na Netflix, chamado Heal. Ele fala do poder da cura pela mente e o quanto a medicina tradicional é limitada em alguns casos. Super interessante! Recomendo!

    Beijos! Elsa

    • sempresabado

      Pois é Elsinha, vou falar que na cidade onde nasci lá no interior do Brasil ninguém ia ao PS, isso só vi aqui na cidade grande onde as pessoas trabalham enlouquecidamente e nao tem tempo de marcar um médico, daí aparecem no PS no fim de semana pra nao perder dia de trabalho. Bacana esse documentário da Netflix vou ver de assistir. Estou cada vez mais convencida de que os orientais é que entendem desse negocio de saude. Nao adianta tratar o corpo se você tem uma mente doente jogando contra!
      um beijo!

  • Frugalidade Hacker

    Eu tento evitar esse ciclo crescente de “medo de morrer” pensando que o ser humano conseguiu sobreviver centenas de milhares de anos sem essas especialidades médicas, sem exames X ou Y, sem antibiótico etc etc. É possível que eu morra de uma complicação originada de uma dor de garganta? É sim!, mas a partir da análise dos riscos e da história do ser humano, concebi o corolário: prefiro viver sem medo.

    Dia desses teve uma chuva fortíssima aqui na minha cidade, meus tênis estavam todos encharcados, e eu não aguentava mais ficar pra lá e pra cá com o pé molhado e abafado. A cidade toda estava um caos: aulas e expedientes cancelados, carros parados nas ruas, esperando a água descer. Tirei os tênis, deixei no trabalho, e fui descalço pegar um ônibus, na lama e no caos. Deu tudo certo.

    Quando falei isso pra minha namorada & família, elas me deram a maior bronca!, apontaram todos os possíveis desastres sanitários que poderiam ter acontecido comigo. Mas às vezes a ignorância é uma bênção mesmo. Os ignorantes vivem com menos medo, são mais livres.

    Abraço!

  • sempresabado

    Que desprendimento FH! Mandou bem, na hora que vc falou que foi descalço já pensei em leptospirose na hora rsrsrs! Mas vc tá certo mesmo. Existe uma indústria sem fim que lucra com esse medo. Parabéns pelo desprendimento! Abs Muquirana

  • Suspeito

    Parabéns pelo relato
    O mecanismo é esse mesmo.
    A indústria cria esse medo todo, o paciente assimila e procura o médico que vai fazer milhares de exames e remédios caros e modernos. Os médicos acabam cedendo a esse mercado ( médico que não pede exames o cliente não sai satisfeito e hospitalar também, pq o tíquete medio dele será baixo)
    Infelizmente vc fez uma tomografia com indicacao duvidosa se expondo a radiacao e o pior que ganhou uma endoscopia e tomou uma colonoscopia sem indicação e confiança riscos do procedimento.
    No Canadá provavelmente vc receberia analgesicos e caso não melhorasse iriam iniciar a investigação. Nesse meio tempo seu corpo curaria sozinho.

  • Simplicidade e Harmonia

    Elsinha,

    Ainda bem que foi só um susto e que agora esteja melhor.

    Não é à toa que a indústria farmacêutica seja uma das mais rentáveis do mundo… Seu relato ilustra bem a questão.

    Por isso, o cuidado com a saúde e a prevenção de doenças através de uma alimentação equilibrada, sono adequado e um estilo de vida mais saudável, não sedentário e o menos estressante possível são fundamentais.

    “Quando você encara a morte como uma possibilidade real vai ver o que é importante de fato na sua vida.”
    Exatamente. Querendo ou não, a gente acaba aprendendo muito com esse tipo de situação.

    No meu blog há vários posts sobre um estilo de alimentação mais saudável, se quiser ver:
    Alimentação – Simplicidade e Harmonia

    Boa semana,
    Simplicidade e Harmonia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.