Carreira,  Muquirana,  Reflexões

E QUANDO A MULHER GANHA MAIS DO QUE O HOMEM?

Photo by Brooke Lark on Unsplash

Leio muita coisa de homens bem ponderados na busca da IF. São pessoas que buscam a liberdade não só para si mas também para sua família e fazem isso em conjunto. Porém já li dezenas de comentários falando que a busca da independência financeira deve ser feita solo, sem esposa, pois elas só corroem o orçamento. Também já li outros mais “moderados” falando que consideram sim ter família, mas apenas com uma mulher que trabalhe e não precise de ajuda financeira. Também já li que o homem deve ser o líder da família e tomar todas as decisões. Todos esses argumentos partem de uma premissa de que o macho alfa comentando ganha mais e tem um patrimônio maior do que as namoradas/esposas/pretendentes. Só faltou ele considerar a hipótese de que a mulher pode ganhar mais do que ele. 

E ai, o que aconteceria nesse caso?

Acho que muitos nem consideram essa hipótese, mas chutaria que aqueles que carregam esse rancor financeiro contra o sexo feminino podem acabar tendo (ou que já tiveram) que se relacionar com mulheres menos instruídas ou que ganham menos, porque a mulher que tem um patrimônio sólido, uma carreira estabelecida e bons rendimentos esteja a procura de um companheiro e não de um “mentor”, afinal ela não precisa de um em casa..

Na semana passada ouvi um comentário sobre um empresário que se casou com uma menina N anos mais nova e que é recebido todos os dias a noite com uma bacia de agua quente para descansar os pés. Gostou da ideia? Sinto lhe informar que isso não está incluído no pacote da mulher que ganha bem, se sustenta e tem patrimônio.. Infelizmente ela vai chegar em casa querendo essa bacia também, então na melhor das hipóteses vocês fazem uma escala de quem espera quem com esse mimo em determinado dia da semana.

Nem tudo porém está perdido. O fato da mulher ter uma carreira bem remunerada não implica que ela seja fria e abandone a família. É claro que há pessoas de todos os tipos e isso pode acontecer, mas conheço mulheres que usam sua posição privilegiada para unirem esforços com os maridos e irem atrás da independência financeira, para poderem reduzir o ritmo de trabalho quando chegam os filhos ou para simplesmente terem férias mais longas e estarem em família. Nesse caso a esposa se torna um grande ativo para a família, contribuindo com seu tempo e seu dinheiro. Mas reitero, essa mulher dificilmente vai tolerar comportamentos machistas, egoístas ou preconceituosos, simplesmente porque se a relação não é uma troca ou algo respeitoso, ela pode simplesmente ir embora e tocar sua vida. A independência financeira não vale só para os empregos, ela vale para qualquer relação abusiva.

Por muito tempo o arranjo familiar tradicional era do homem trazendo o dinheiro e a mulher cuidando da casa e dos filhos. Isso mudou, e é bom para todo mundo. Agora as mulheres podem ser independentes e os homens não precisam carregar toda a responsabilidade de sustentar a família.

O Sr Muquirano largou a vida corporativa e abriu sua empresa 4 anos atrás. Ele sabia que não precisava se preocupar em me sustentar e que se desse tudo errado eu estaria ali para fechar as contas da casa. Com isso suas energias estavam 100% focadas em fazer o negócio dar certo. Por isso senhores, parem de falar que as mulheres só atrapalham sua IF, pois essa mentalidade só vai atrair mulheres que toleram relações de dependência. No caso de você achar uma mulher que ganhe mais que você, não tenha medo de ser menos em casa, a ideia é que vocês sejam muito mais juntos.

27 Comentários

  • Jorge Silva

    Para mim se a mulher ganha mais melhor. Vou me atirar na rede e curtir a vida enquanto ela sustenta a casa. É bom uma mudança as vezes para elas que querem igualdade

    • sempresabado

      Claro, por que não? Se tb der um tempo de tocar a casa, a comida e os filhos nos intervalos da rede e dar uma malhadinha pra não ter barriga de chopp acho que é um bom acordo.

  • Adriana

    Não poderia deixar de comentar esse texto Muquirana! Um elegante tapa na cara de quem pensa que mulher só sabe gastar. Ok, concordo que de um modo geral as mulheres tem uma tendência a gastar mais do que os homens, mas conheço muitas que dão um duro danado trabalhando, que pagam as próprias contas e que economizam sim. Essas generalizações ridículas que são o problema. Acho que esse tipo de homem que pensa dessa forma merece mesmo somente encontrar esse tipo de mulher gastadora e inconsequente.
    Assim como acho ridículo mulher querer que o homem pague a conta dela do restaurante ou do passeio somente porque ela é mulher. Tem os dois lados da situação.
    E se for o contrário, se for uma mulher independente e correndo atrás da independência financeira e não querendo homem para se encostar/atrapalhar os objetivos dela? A forma como esse tipo de mulher é taxada é muito mesquinha.

  • sempresabado

    Exato Adriana. Nenhuma mulher bem sucedida vai tolerar um cara com esses pensamentos de 1920, dai ele se casa com uma que pensa que ele é obrigado a pagar tudo aquilo que ela gastar e sobra mais ressentimento e sensação de contribuição desigual em casa.
    Também concordo que não tem porque achar que o homem tem que pagar a conta do restaurante, dos passeios e viagens. Se a mulher trabalha é 100% justo que ela contribua também.
    Abs!

  • ABM

    Muquirana, acho que quando se encontra o companheirismo genuíno, pode-se dizer que ganhou na loteria da vida. Conhecer, estimular, apoiar os objetivos de cada um em uma relação requer intencionalidade e principalmente disposição para encontrar um ritmo que possibilite aos dois alcançarem seus objetivos. Que bom que vc e o sr muquirano estão neste ritmo. Tenho muitos amigos e familiares que nao estao dispostos a investir neste tipo de relação. São pessoas que querem que os seus objetivos individuais sejam a prioridade absoluta do casal. Então constroem relações nessas bases. Tem algum problema? Se os dois estão de acordo, não. Se um não está consciente disso, pode ser uma relação abusiva. Em todo caso, apesar de ter alguém totalmente fechado nas suas prioridades, esteja preparado para o peso e a responsabilidade que isso pode implicar. Acredito que quando se tenta priorizar os objetivos individuais de ambos, as concessões aumentam e o ritmo das conquistas pode ser mais lenta, mas no cômputo geral, há mais chance de uma vida equilibrada e leve ,sem responsabilidades e nem “dívidas” com ninguém. Acho que se apegar a ideias fechadas ou determinados sensos comum do como mulher ou homem lidam com dinheiro ou qualquer outro aspecto da vida uma forma preguiçosa de compreensão da realidade. Se fosse simples assim, o manual de autoajuda a venda na banca da esquina resolveria todos os nossos problemas.

  • sempresabado

    Ola ABM, excelente ponto: “apesar de ter alguém totalmente fechado nas suas prioridades, esteja preparado para o peso e a responsabilidade que isso pode implicar”.

    Vejo esse arranjo na minha família no interiorrrr. O arranjo funciona bem no dia a dia, mas é possível captar ressentimento por parte do homem que se sente carregando muito peso sozinho e a mulher que nao se sente reconhecida ou que acha que não está recebendo o suficiente. Difícil chegar a uma solução onde todo mundo está feliz 100% do tempo.

  • Elsa

    Fantástico Muquirana. Já tinha tempo que queria fazer o mesmo desabafo. Realmente essa visão de quem mulher só atrapalha os planos de independência financeira é uma cegueira completa. Escolhendo a pessoa certa é ganho duplo: renda dupla, custos pela metade. A única coisa é que o homem precisa se livrar dessa necessidade de ter um rostinho bonito e um corpo sarado todos os dias (btw, conheço muitos que casam assim, mas o tesão passa, como sempre, e ele sobra com uma “boca” pra sustentar”). A mulher que trabalha vai ter sua própria opinião, celulite e cabelo sem baby liss. Mas vai te ajudar muito a conquistar a independência financeira e curtir o que realmente importa nessa vida.
    Quando conheci meu marido, o número mágico dele pra aposentadoria era o dobro do que ele busca hoje. Isso porque ele achava que ia ter que sustentar uma mulher. Talvez se apaixonar e casar com alguém como eu não estava nos planos dele por conta dessa cegueira dos homens de que mulher não sabe gerar renda ou cuidar de dinheiro. Hoje reconheço o quanto ele me ajudou nesse plano todo, e tenho certeza que eu mostrei que juntos chegamos antes e com mais qualidade. Feliz os homens que vencerem essa cegueira!
    Abs!

    • sempresabado

      Oi Elsa, é isso mesmo, felizes os homens que vencem essa cegueira. Imagino que as relaçoes sejam mais equilibradas e o casal tenha menos atrito. Sorte do Sr. Bigode ter cortado o tempo de aposentadoria dele pela metade!

  • Sr. Alforriado

    Em casa, minha mulher ganha quase o dobro do que eu ganho. Em média conseguimos aportar entre 30% a 40% da nossa renda líquida, ano passado conseguimos 60%.

    Desde que nos casamos, eu tentei inteirá-la sobre os investimentos, mas com a chegada da nossa filha, ela passou totalmente essa responsabilidade pra mim.

    Frequentemente, vejo nos blogs de finanças o pessoal considerando o casamento quase que um parasitismo por parte de um (geralmente consideram a mulher como um parasita do homem).

    Eu vejo meu casamento mais como um mutualismo, em que ambos são beneficiados. Tanto eu quanto ela não teríamos o padrão de vida e nível de aporte se fossemos solteiros.

    • sempresabado

      Obrigada por uma contribuiçao positiva pelo lado masculino Sr. Alforriado!! Parabens pela taxa de aporte de vocês, se já nao está alforriado, chegará à meta muito em breve. Meu marido costumava falar que o casamento era quase igual montar uma república, metade dos custos de se morar sozinho. Muita gente esquece disso e só percebe que os custos explodem quando se divorciam. Tudo fica duplicado: casa, condominio, supermercado, etc.

  • Poupando Centavos

    Que bom ver um post com esse assunto, pois “consumo” muito conteúdo da blogosfera financeira e as vezes me sentia ofendida com certos comentários depreciativos sobre as mulheres. Logo eu que trabalho desde os 14 anos… Reconheço que alguns desses comentários certamente vem de experiências, pois quando comento que divido as despesas de minha casa com meu esposo (proporcionalmente de acordo com a renda de cada) recebo muitos comentários negativos de colegas dizendo que jamais fariam isso, ou ainda que até dividem algumas despesas mas quando o casal sai o homem tem que pagar e pronto. Comecei até a me sentir estranha kkkk, mas minha opinião é que não dá mais pra aceitar que pagar conta é “coisa de homem” do mesmo jeito que é inaceitável achar que tarefa doméstica é “coisa de mulher”, francamente…

    • sempresabado

      Olá PC! De fato a gente lê cada comentário que nao da pra acreditar no que está lendo, como diz minha mae, melhor ser cega. Mas enfim, como voce mesmo disse algumas meninas acham que pagar as contas é “coisa de homem”. Só nao dá para generalizar. Esse negocio de jogar todo mundo no mesmo cesto irrita mesmo.

    • sempresabado

      Olá EI, obrigada pelo comentário! Pelo que leio no seu blog vejo que vocês trilharam um caminho conjunto. É uma mega exemplo de que é mais fácil chegar ao FIRE jogando em dupla. Boa sorte na reta final, depois de remar junto vai ser hora de curtir junto. abs!

  • Marcelo

    Esse texto me fez lembrar da Yuka, do blog Viver sem Pressa. Acho que é das poucas mulheres aqui da finansfera.

    no meu ponto de vista, o casal é um time. se eles tem o sonho de chegar na IF, tem que trabalhar juntos focando nisso. casal que não faz as coisas junto não dá certo, termina em divórcio. conversa e planejamento conjunto é sempre o melhor caminho

    • sempresabado

      Oi Marcelo! Conheci o site da Yuka no podcast do if365 e achei muito legal. Ela joga em dupla mesmo, mais do que qualquer pessoa que já vi. Com certeza quando o casal rema alinhado assim o barco chega mais rápido! Abs

  • Rei Do Flow

    Sou solteiro, porém mulher mais nova é apenas um gosto pessoal. Eu não quero mulher que não trabalhe/estude pra ficar em casa cuidando dos afazeres domésticos.

    Um homem de 30, 35 pode namorar uma mulher de 19, 20. Sou muito novo pra casar, tenho 24, agora é só focar no dinheiro mesmo. Lá na frente depois tem tempo pra casar com mulher mais nova.

    • sempresabado

      Olá Rei, legal vc ter essa cabeça de querer que sua esposa tenha a vida dela, trabalhe/estude. De fato com 24 anos ainda da pra acumular bastante antes de começar uma família, faz bem em começar cedo. Abs!

  • MLK

    Conheci o blog ontem e amei, já fiz uma maratona de posts! Não podia deixar de comentar este em particular. Eu tive um namorado que trabalhávamos na mesma empresa (uma empresa pública) e ganhávamos o mesmo salário. Não contente com o salário, que não era lá essas coisas, resolvi procurar emprego na iniciativa privada e abracei uma ótima oportunidade que surgiu para ganhar o triplo do salário. Ele não quis nem tentar pois tinha medo de sair do serviço público. Depois da minha mudança de emprego a atitude dele mudou drasticamente, quando saíamos tinha que ser com o meu carro porque eu ganhava mais, quando íamos comer em algum lugar ele esperava que eu me oferecesse para pagar a conta (inclusive para os familiares dele), no meu aniversário ele não deu nenhum presente, e dessa forma o relacionamento degringolou de vez até que terminou. Eu era muito nova na época para perceber o machismo e abuso na atitude dele, só consegui entender isso um bom tempo depois, olhando em perspectiva.

    • sempresabado

      oi MLK, obrigada por compartilhar essa história tao bacana conosco. É raro ver alguém que deixa o serviço público, parabens pela sua atitude e pelas mudanças que isso trouxe para a sua vida! Essa postura do seu ex namorado foi bem abusiva e que bom que voce descobriu isso antes de se casar! Bem vinda ao blog! Adoramos quando ganhamos amigas novas. abs!

  • Poupadora solo

    Me senti compelida a comentar e, claro, parabenizá-la pelo artigo.
    Meu caso é bem o oposto do senso comum: busco a IF sozinha. Sempre fui empoderada pela minha família a não depender da renda de um companheiro para o meu sustento presente e futuro, justamente pela fragilidade em que nos colocamos se criamos esse tipo de dependência. Também recebi educação financeira desde a infância.
    Tento ser um exemplo para as minhas primas mais novas nesse sentido: podemos fazer tudo!
    Busco tb um companheiro pra dividir a vida comigo, mas por demandar esse espaço de voz nos relacionamentos, tenho dificuldade em encontrar alguém que respeite e admire essa postura.
    Muito obrigada pelo incentivo à todas as mulheres.

    • sempresabado

      Oi Poupadora Solo, que legal ver alguem que teve educaçao financeira desde a infancia! Sua familia falava disso ativamente com voce ou era um ambiente mais frugal? Nós meninas podemos fazer tudo o que bem entendermos. Foi-se o tempo que a vantagem fisica dos homens era importante pq servia pra caçar o mamute rsss. Há vários caras muito legais que admiram e apoiam quando nós tocamos nossa vida independentemente. Pelo menos pela minha experiencia o que mais marca esse tipo de homem é ter tido uma mae que trabalha ou trabalhou fora. Esse exemplo vindo de casa faz essa aceitaçao mais natural. Abs!

  • Sandra

    Por uma dessas coincidências da vida eu e meu esposo ganhamos exatamente o mesmo salário base rs, porém como estou a mais tempo no cargo que ocupo eu tenho um pequeno bônus, mas é coisa pouca mesmo, tanto que nem considero que ganho mais que ele. Em compensação ele tem uma possibilidade que ainda não apareceu para mim, vez ou outra surge um trabalho extra que ele faz que rende uma bela grana rs.
    Se eu ganhasse muito mais que ele, ou ele muito mais que eu, acho que nem sentiríamos porque quando casamos decidimos que nossas finanças seria conjuntas, então a gente junta os salários e/ou rendas extras que temos e fazemos um planejamento único. Somos extremamente unidos e coesos no nossos propósitos em tudo e não seria diferente nas finanças. Se não fosse para viver uma vida de companheirismo e troca reais eu nem teria casado, melhor era ter ficado só, por isso me é tão estranho quando leio certos comentários na internet e por isso não faz sentido existir esse questionamento. Confesso que antes de conhecer meu marido eu fica matutando se me sentiria meio diminuída se ganhasse menos que um possível companheiro, depois que casei vi que se vc acha alguém que é PARCEIRO mesmo, essas dúvidas não existem.
    Já li muito que o cara tentar FIRE casado era o mesmo que tentar subir uma ladeira com o freio de mão do carro puxado, pelo menos no meu casamento, não poderia ser mais bobeira, as vezes eu sou até mais chata que meu marido quanto a gastos e a nos mantermos fieis a nosso planejamento. Acho legal que duas cabeças pensam melhor que uma, quando um está meio alto sabotador vem o outro e puxa a orelha. Brincamos que a vida para nós é como um jogo (game) e de dois é mais fácil zerar rs.
    Já disse a ele inclusive, que se em breve ele decidir tirar um ideia de negócio do papel eu me manteria trabalhando para garantir a subsistência e ele se dedicaria sem o peso de não ter como se manter, faria o mesmo se ele decidisse se dedicar aos estudos e tenho ZERO dúvida de que ele faria o mesmo por mim.
    Muito legal sua postagem, como acompanho essa parte dos blogs (de finanças) tem pelo menos uns 8 anos, já li, muita, mas muita bobagem machista.

    • sempresabado

      Oi Sandra! Bem vinda ao clube das meninas poupadoras que aguentam desaforos machistas nos blogs da finansfera rsrsrsrs. Acho muito legal sua atitude e a parceria que você tem com o seu marido. Gosto da ideia de conseguirmos juntos um objetivo comum. Pra mim é um alívio saber que o peso da casa nao cai exclusivamente nas minhas costas e imagino que meu marido sinta o mesmo. No fim das contas nao importa isso de quem ganha mais e sim que todos contribuam dentro das suas possibilidades para a família. Abs!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.