Muquirana,  Qualidade de Vida,  Reflexões

Independência financeira e saude

Photo by Online Marketing on Unsplash

Uma das coisas que mais me preocupa para o período de IF é o custo de manter um plano de saúde e eventuais despesas médicas. Quando vi o post recente do MMM no qual que ele diz que simplesmente parou de pagar o plano de saúde, a minha primeira reação foi de surpresa já que eu estou em algum médico mês sim, mês não e sou uma daquelas pessoas que dá prejuízo ao plano de saúde.

Parei para pensar nas minhas últimas visitas ao médico e percebi que a maioria esmagadora delas está relacionada ao stress do trabalho ou de pressões e angustias relacionadas ao trabalho. Para quem não se lembra eu tive um baita susto no ano passado e pela primeira vez tive medo real da morte. Muitos exames depois e isso foi mais um caso que “veio e foi do nada”, forte candidato a uma reação física a stress mental.

Com exceção de exames de rotina, TODAS, as minhas visitas ao médico em 2019 e já em 2020 foram por stress (alergias autoimunes) ou por dor muscular crônica. Depois que pensar sobre isso, a ideia de que na fase sem trabalho no escritório a saúde não vai ser um problema ficou bem mais aceitável.

Por coincidência estou lendo um livro sobre a influência das nossas emoções no nosso corpo, principalmente das nossas emoções reprimidas. Um médico americano que trata de dor nas costas percebeu que seus pacientes tinham traços de personalidade muito parecidos e muitas vezes também apresentavam outras doenças que têm um fundo emocional como doenças do trato gastro-intestinal e alergias. Ele investigou o assunto e criou um protocolo que trata 95% dos seus pacientes com dores musculares através de auto conhecimento e busca por raiva e emoções reprimidas. Para quem tem dores crônicas vale muito a leitura pensar sobre o assunto.

Um dos exemplos mais interessantes do livro é um estudo que mostra que foram feitos várias ressonâncias magnéticas em pessoas sem dores e os exames mostraram que a maioria dos adultos têm “problemas” de coluna, congênitos ou de desgaste. Essas pessoas vivem normalmente com essas deformidades, mas caso tivessem dores, muito provavelmente seriam mandadas para a cirurgia. O médico explica que o cérebro “sabe” de todos os problemas físicos do corpo e manda as dores crônicas para lá, de forma que sejam críveis e nos “distraiam” com o corpo para evitar que confrontemos nossas emoções difíceis de lidar.

Estou muito convencida que a epidemia de dor crônica e de doenças auto imunes no mundo está ligada ao nosso modo de vida completamente anti-natural (stress, barulho, comida ruim e sedentarismo) e nossa desconexão com qualquer tipo de espiritualidade/meditação/religião. Os médicos que me desculpem, mas acho que a medicina tradicional está bem distante da realidade atual nas dores crônicas e doenças auto imunes. Não é culpa deles e sim da formação médica, que trata doenças e não pessoas. Avançamos muito em áreas como genética, cirurgia e criação de remédios, mas a influência que nossa mente e nossos pensamentos têm sobre nosso corpo e nossa saúde está muito muito mas muuuuito aquém do que já descobrimos com a pesquisa científica. Diria que estamos na idade média do entendimento da influência da mente sobre o corpo.

Eu até me surpreendo pensando assim, mas tenho muito confiança no que venho experimentando de melhora na saude do corpo tratando a mente. Como esse processo é lento e extremamente pessoal, é difícil de ganhar escala e de testar métodos em massa. As pesquisas que são feitas sobre os benefícios da meditação são uma ponta do iceberg sobre o tema, mas pelo menos são um bom começo.

Minha sugestão para aqueles que se preocupam com os gastos de saúde é: cuide da sua mente. Se você não consegue controlar seus pensamentos e reações ao dia a dia, vai ser difícil controlar seus gastos com médicos e remédios.

16 Comentários

  • Cowboy Investidor

    Olá, Muquirana.

    Concordo contigo. Se não tratar a mente a gente fica perdido. Eu já tive gastrite nervosa porque eu passei por muita raiva em uma época da minha vida.
    Hoje às vezes eu tenho problemas intestinais e acredito que seja por estresse, pois ninguém descobre o que é. Estou tentando cada dia ficar menos estressado, mas as vezes é complicado ficar de boas no meio corporativo.

    Abraços!

    • sempresabado

      Olá Cowboy! Como ainda não da pra fugir da vida corporativa, o q da pra fazer é mudar nossa reação aos aborrecimentos diários. Haja Meditação e auto controle pra dar conta disso. Abs!

  • Executivo Investidor

    Tambem concordo que atualmente muita das doenças estão relacionadas ao stress (trabalho principalmente), entretanto a medida que envelhecemos ficamos mais sucetíveis a doenças que não estão ligadas diretamente ao estress. No caso do MMM temos que levar em conta que ele vive nos EUA onde não existe saude pública gratuita e o custo da saúde é praticamente proibitivo para quem não conta com um plano por empresas.
    Esse foi um dos motivos de eu ter escolhido o Canadá. Meus no Brasil pagam pouco mais de R$1k para cada um de plano de saúde, custo esse que deverá dobrar quando ultrapassarem os 70-75 anos.

    abs!

    • sempresabado

      Sim, quando envelhecemos as nossas peças começam q dar errado por tempo de uso mesmo, é inevitável. Só não consigo aceitar que pessoas entre os 20 e 40 anos tenham tantos problemas crônicos q os médicos não conseguem explicar! Tb já cogitei morar nos EUA mas esse sistema de saúde caótico deles me desmotivou muito.. o Canadá é uma ótima saída. Abs!

  • Viver Sem Pressa

    Sabe que também concordo com você?
    Eu assisti no ano passado o documentário “The Magic Pill” no Netflix e fiquei surpresa (vai ter spoiler) de como pessoas que haviam doenças graves respiratórias, diabetes, autismo e até mesmo câncer tiveram seus efeitos minimizados e até mesmo eliminados, retirando totalmente os alimentos industrializados da alimentação diária.
    Eu passei a comprar alimentos orgânicos depois de assistir esse documentário, porque hoje eu acredito que além da vida estressante que levamos, poluição, sedentarismo, o consumo de agrotóxicos e produtos trasngênicos podem sim afetar nossa saúde para pior.
    Beijos.

    • sempresabado

      Que legal Yuka, não vi esse documentário vou assistir no próximo fds. Vc fez muito bem em abraçar os orgânicos. A vida nos grandes centros são como um copo d’água numa torneira pingando, eh tanta coisa em cima da gente que uma hora a gota extra faz o copo transbordar, e nessa hora aparecem as doenças. Estou tentando me livrar das goteiras do barulho e do stress. Abs!

  • Suzana Mota

    Olá Muquirana,

    Qual livro você está lendo ? Quais metodologias tem adotado para diminuir sua carga de “stress” ?

    • sempresabado

      Oi Suzana estou lendo “The mindbody prescription” do John Sarno. O q esta me ajudando muito é fazer Meditacao todo dia. Antes eu fazia com um app mas os ganhos apareceram quando comecei a fazer sozinha no silêncio mesmo. Tb estou vendo os vídeos do Sadhguru. Ele ensina q não controlamos as amolações e raivas q passamos mas temos q ser capazes de controlarmos nossa resposta. Isso me ajuda a me acalmar, pcp qdo meu filho faz birra as 6 da manhã de domingo. Outro livro q tb li nesse caminho é “A guide to The good life” do William irvine que fala sobre estoicismo. Espero que ajude. Abs!

  • sempresabado

    Muquirana, seu texto é exatamente o que eu precisava ler hoje!
    Estou com dor de estômago, mas sei que é de cunho emocional, nem adianta ir ao médico tomar remédio. Enquanto não me tranquilizar e acalmar a mente, a dor vai ficar aí e o remédio terá um efeito paliativo.
    Aliás me lembrou que ainda preciso meditar hoje! Rs
    Beijos e boa semana!

    • sempresabado

      Sei bem como é, Elsinha. Tem umas coisas que nem adianta perder tempo indo ao médico mesmo. Vai fazer uma aula de spinning pra dar um relax! Bjs

  • ABM

    Concordo que a sua mente interfere muito na sua saúde. Algumas externalidades como excesso de ruídos, poluiçao, alimentaçao, atividade fisica influenciam bastante. Relacionamentos de qualidade e reduçao de stress ajuda muito. Eu acredito que a partir dos 60 anos o gasto com saude tende a aumentar mesmo. Antes disso, na maior parte dos casos acredito que o estilo de vida interfere muito na saúde. Melhorar a saude é um dos meus maiores motivadores para independencia financeira. Chega um momento, quando sua sobrevivencia esta garantida que determinados “confortos” pagos por um salario mais alto perdem o sentido. Melhor desapegar de muita coisa e viver um vida mais leve e saudável. Estou curiosa para ver um post específico do MMM sobre a questao de nao pagar seguro de saude. Nos EUA nao eh uma decisao facil.

    • sempresabado

      ABM, achei muito interessante o raciocínio do MMM. Ele viu que houve uns 30 casos de despesas médicas de 1 milhão de dólares no ano, então deduziu que seria muito improvável uma despesa dessas e que mesmo nesse caso improvável ele aguentaria o baque. Enfim, dado que ele faz 400k usd por ano só com o blog e é super saudável faz sentido mesmo.
      Depois dos 60 anos as coisas pioram mesmo mas veja que tem uns velhinhos no Japão e na Europa mediterrânea que são praticamente imortais! Melhorando o estilo de vida e alimentação acho que a saúde muito provavelmente acompanhará. Abs!

      • ABM

        Nao tinha lido esse argumento dele. Sera que sao 30 casos no estado dele ou no pais? Acredito que la os seguros sao estaduais. Tem que se perguntar mesmo o quanto vc tem capacidade de pagar em tratamento medico por nao ter seguro. Nao precisa ir tao longe para achar esses velhinhos imortais. Estava este final de semana almoçando com amigos. A mae com quase 100 anos, numa boa. Tomou um copinho de cerveja depois do almoçoo e foi tirar um cochilo na varanda. Totalmente lúcida e de bem com a vida. Quem dera eu chegar nesta fase da vida assim, na tranquilidade, sem medo de viver e nem de morrer.

        • sempresabado

          Ele falou isso nos comentários. Entendi que esses 30 casos foram no país. Parece que o trump acabou com a multa pra quem não tem seguro e ele aderiu.
          Poxa, legal essa senhorinha de 100 anos. Quem me dera chegar lá assim tb. Seguramente só vai funcionar dando o fora da cidade grande. Abs!

    • sempresabado

      Meu gasto de cuidados pessoais é baixíssimo John. É bem verdade que dei sorte na genética e sempre tive a pele boa, então lavar o rosto com um gel e usar base com filtro solar já resolve minha vida. A manicure eu aboli, limpo e lixo as unhas em casa. Vou so quando tenho algum evento. Nessa hora de almoço perdida cuidando das unhas eu prefiro ir correr ou fazer musculação e cuidar do corpo e da mente de uma vez só. A Elsa fez um post sobre isso: http://www.sempresabado.com/quanto-o-amor-proprio-ja-me-economizou-de-dinheiro/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.