Gastos,  Muquirana,  Reflexões

Largue esse padrão de consumo classe C

the grill man
Foto por Kaboompics .com em Pexels.com

Várias vezes percebo nas pessoas comentarios maldosos sobre minha opção de gastar menos do que a maioria das pessoas. Parece que são atos falhos, mas dá para perceber alguma incompreensão e até uma certa revolta com as minhas escolhas. Tem o típico: “Eu adoro o meu trabalho, não quero parar logo então não vou me privar de nada ”, e os  que aparecem de vez em quando: “Qual a graça de ganhar dinheiro se você não gasta com nada?”, “Me recuso a viver nessa miséria”, “Se você não sai para restaurantes você fica em casa o tempo todo?” e o que eu mais gosto: “Você tem que aproveitar mais a vida e parar de guardar dinheiro”.

Esses comentários me lembram a história do Yoshi, um colega que tive no meu primeiro emprego. O Yoshi era um rapaz bem austero naquela época. Ele morava na casa dos país quando muitos já tinham saido de casa, não tinha carro e ia para o trabalho a pé. Um colega gostava de falar “Yoshi, largue esse padrão de consumo classe C”. O Yoshi ganhava bem, mas ele estava longe de ser o mais bem pago ali. Ele poupava entre 80 e 90% do que ganhava. Eis que um belo dia o Yoshi resolveu pedir demissão.

Acho que ele devia ter uns 25 anos na época. Tinha se cansado do trabalho, queria se dedicar a computação e seus investimentos mais que pagavam seu custo de vida. Ele passou uns bons 6 meses estudando as linguagens de programação que ele queria, fazendo sites e se divertindo. E a melhor parte da história é que quando o dono da empresa onde trabalhávamos resolveu abrir um negócio novo na área de tecnologia, adivinhem quem ele chamou para ser seu sócio?! Sim, foi o Yoshi… Aposto que o colega que falou para ele deixar de ter um padrao de consumo classe C ficou com vontade de ser o Yoshi naquela hora.

A cada vez que as pessoas escolhem torrar o salário inteiro em jantares nos restaurantes da moda, roupas e carros elas escolhem também abrir mão da sua liberdade e fechar as portas para novas oportunidades. Se o Yoshi não tivesse “se aposentado” ele nunca teria tido a oportunidade de se tornar sócio do seu chefe. Se ele não tivesse um custo de vida baixo, ele nunca teria sido capaz de se sustentar com o rendimento das suas economias.

Acho assombroso pessoas cuja renda de investimentos não passa nem perto de pagar as contas da casa gastarem como se fossem milionárias. Não tenho nada contra restaurante da moda ou garrafas de vinho de 150 reais, DESDE QUE VOCÊ TENHA DINHEIRO PARA PAGÁ-LOS! E aposto que a maioria das pessoas que pagam jantares de 200 reais não tem!

Então, minha resposta Gina Sincera para os comentários que escuto por aí são:

“Eu adoro o meu trabalho e não quero parar, logo não vou me privar de nada”
Ótimo, então continue fazendo-o até o fim das suas forças ou até te demitirem para poder encher a casa de coisas que você não usa.

“Me recuso a viver nessa miséria”
Eu também. Por isso guardo um monte de dinheiro, para nunca ter que me preocupar se tenho suficiente ou não para viver na miséria.

“Qual a graça de ganhar dinheiro se você não gasta com nada?”
Engano seu. Eu gasto bastante, mas só com o que eu acho que vale a pena. Você vai ver quando eu estiver rodando a Austrália num trailer e você ai sentado no escritório.

“Se você nao sai para restaurantes, você fica em casa o tempo todo?”
O tempo todo não, mas eu gosto de chamar os amigos em casa e vou bastante à casa deles, e vira mexe vamos a algum restaurante bom, bonito e barato. O Sr. Muquirano e eu doutrinamos nossos amigos para perceberem que o legal é estarmos juntos independente de onde estamos. Não adianta nada estar no último restaurante Glamurama com a pessoa mais chata do universo.

“Você tem que aproveitar mais a vida e parar de guardar dinheiro”
Desde quando gastar é aproveitar a vida? Quem compra um monte de coisas para ser feliz deveria começar a comprar sessões de terapia, isso sim!

Muquirana (da pá virada hoje)

19 Comentários

  • Gari Advogado

    Muito bom o seu post. No meu trabalho costumam me chamar de muquirana, mão fechada, porém quando alguem precisa de doação, fazer uma vaquinha pra festa eu sempre ajudo. Não sei o seu caso, mas eu tento poupar ao máximo tudo que ganho investindo. 1 mês sem investir algo para mim é um mÊs perdido (escravidão). Nem que seja 5% busco poupar e investir no mês. Abraço

    • sempresabado

      Ola Gari Advogado! Nossa eu odeio com todas as forças essas caixinhas do escritório, mas igual a vc eu contribuo para não causar uma comoção social. Ninguém quer saber o que está acontecendo na sua vida, assumem que vc tem que contribuir e ponto! Hoje não consigo mais poupar mês a mês, pq troquei de trabalho para um mais legal, mas que paga menos. Estou dando graças a Deus quando consigo pagar as despesas do mês com o salário e não encosto nos meus investimentos e aluguéis. Rsrs. Abraço e bom fim de semana!

  • Investidor Inglês (@investidorIn)

    Achei a Gina Sincera de boas haha

    Quando abrimos nossa opção em economizar, a taxação é imediata. No começo eu tinha a ilusão de trazer a galera para junto de mim e desfrutar do quão bom é viver uma vida sem exageros financeiros. Doce ilusão…

    Hoje penso bem antes de comentar sobre minha opção. Dias desse no trabalho acabei falando sobre ela como conto neste post aqui Falando sobre educação financeira

    Acabei não resistindo rs

    Abraço!

  • Simplicidade e Harmonia

    Gostei da história do Yoshi. Apesar de todas as críticas, ele estava satisfeito com a vida mais simples que levava. Além disso, conseguiu algo que os outros não conseguiram: tornar-se sócio da empresa. É um bom exemplo para todos nós. De que adianta o consumo compulsivo se ele não nos levará a lugar nenhum?

    As frases que citou mostram bem como a sociedade está acostumada a compras sem reflexão. O que esquecem é que tal consumo produz uma satisfação tão passageira, que logo a ânsia por mais compras estará novamente presente.

    Eu acho que precisamos gastar dinheiro de forma planejada com o que faz sentido para nós. Se seguirmos o apelo do marketing e da indústria, passaremos a vida inteira atrás de compras que não trarão a satisfação ao menos um pouco duradoura almejada.

    Um bom final de semana!
    Simplicidade e Harmonia

    • sempresabado

      É isso mesmo SH, o consumo esta tão no piloto automático das pessoas que quando aparece alguém questionado isso muitos se sentem atacados pessoalmente.
      Acho que vale o mesmo raciocínio para a vida online. Depois q li seu post de não ter celular eu resolvi apagar o WhatsApp e estou adorando! Mas vc deve imaginar a ira que isso despertou ao meu redor. Qualquer coisa fora o “socialmente esperado” gera muita comoção! Bom fim de semana pra vc tb! Abs!

      • Sidnei da Silva

        Olá,
        Esta história foi muito boa mesmo!
        Já invisto há cerca de 7 anos, sendo que comecei a acompanhar nos últimos 12 meses os vários sites e blogs da finanças pessoais para me comunicar com pessoas com interesses em comum, pois no trabalho, família e amigos é muito, muito difícil conversar sobre o assunto. Além da taxação imediata, conforme o colega acima mencionou, eles tb querem que você caia na matrix tb.
        Nos últimos dois meses tb comecei a adotar uma vida mais frugal, me desfazendo de muitas coisas que não usava e pensando bem se eventualmente tenha que comprar algo, e sinto uma liberdade gigante.
        Não possuo carro, e não vejo grandes razões para ter um – moro numa grande capital, tendo boa oferta de transporte por aplicativos e um razoável transporte público – , só de pensar de ter que ficar dirigindo e o stress que ele gera no trânsito de uma grande cidade me dá mais aversão.
        Estou gostando muito do suas postagens e da outra menina, agradeço a vocês duas pelo conteúdo!

        • sempresabado

          Oi Sidnei, ficamos felizes que vc esteja gostando!
          Parabéns por estar vencendo a resistência dos “gastadores” ao seu redor e por estar levando uma vida mais leve. O caminho não convencional geralmente é mais solitário mesmo, mas a comunidade está aí justamente para isso!
          Abs!

  • ABM

    Esse discurso do “Eu adoro o meu trabalho e não quero parar, logo não vou me privar de nada” é um perigo… Muita gente assalariada fala isso e esquece que amando ou não amando o trabalho, qualquer um pode perder o emprego. Eu prefiro amar meu trabalho e não depender do meu salario. Quando comecei a trabalhar, fiquei chocada com os colegas de mais de 50 anos dependendo do dinheiro do mês para pagar as contas. Esse foi mais um estimulo para ter uma vida simples, economizar e não viver esse pesadelo. Econtrei substitutos para muitos hábitos de consumoque me deixam feliz. Nao sinto que estou me privando.

    • sempresabado

      Exato ABM! As pessoas acham que empreender é arriscado, mas hoje em dia um emprego não é garantia de nada! Tivemos dois exemplos muito próximo na família de pessoas por volta dos 60 anos sendo dispensadas depois de uma vida de dedicação à uma empresa. A chave pra tranquilidade na vida é você ter o controle do seu futuro, e com dinheiro poupado e saúde você se vira em qualquer circunstância. Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.