Carreira,  FIRE,  Muquirana

Meu projeto FIRE ameaçado

A vida FIRE na Europa segue muito bem. Não estou sentindo falta de trabalhar, exceto algumas vontades pontuais de fazer algo produtivo, o verão se aproxima e estou bastante entretida com minhas atividades esportivas. Porém, o diabo se esconde nos detalhes e no Brasil as coisas estão indo de vento em popa na minha área profissional. O mercado de trabalho está tão aquecido que recebi propostas de trabalho mesmo falando que não tenho interesse em voltar para lá agora.

Quando fiz as malas e embarquei com a minha família em setembro de 2020 eu já tinha assimilado o fato de que não voltaria a atuar na minha área. Em algum momento tentaria abrir um negócio totalmente diferente ou faria algo relacionado a compra e venda de imóveis, mas voltar à antiga profissão parecia algo impossível daqui. Minha área de trabalho nem existe onde estou. Quem ia querer um profissional a distancia, com a complicação de não ser residente fiscal e em um fuso horário bagunçado?! Pois é, tem gente que quer…

Estou muito tentada em aceitar alguma proposta e surfar uma onda de mais um ou dois anos. Para quem se lembra, eu gostava do meu trabalho. Apesar de ser uma pressão psicológica tremenda, eu gostava do desafio intelectual e das pessoas com as quais eu trabalhava. Se fosse fazer outra faculdade faria exatamente a mesma. Não sou tipo aquela médica que tem uma paixão secreta por arquitetura. Enfim, um dia eu liguei pra Elsa pra desabafar e contar que tinha tido uma proposta praticamente irrecusável, que estava muito tentada a aceitar, mas que eu me sentia “traindo o movimento”. Cheguei até a comentar com ela “Elsa, eu tenho até vergonha de escrever isso no blog!”. Ela com sua imensa sabedoria me falou que toda a beleza de ser FIRE estava escancarada na minha cara e que eu não estava sabendo apreciar: pelo fato de eu não precisar mais trabalhar eu pude impor condições que seriam impensáveis alguns anos atrás: home office eterno, nada de reunião às 10 da noite, sem obrigação de ir ao Brasil e só por muito dinheiro. Ela ainda me disse que achava que o Mad Fientist tinha feito algo assim. Ele se declarou FIRE e quando pediu demissão, recebeu uma proposta tão agressiva que decidiu trabalhar por mais dois anos.

Ainda não me decidi 100%, mas depois do verão vou ver se a proposta ainda está de pé. O que eu tinha certeza que não iria fazer é abrir mão de passar o verão livre, leve e solta viajando por aí com a família. Depois de um inverno confinada em casa, não vou vender meu verão sem restrições por dinheiro nenhum, mas estou abrindo a cabeça para a possibilidade de trabalhar um tempo novamente. Vi o post do Vagabundo na semana passada e vi que ele está seguindo um rumo parecido. Me senti até acolhida!

Bem senhoras e senhores é isso. Muquirana está considerando juntar mais umas moedas a distância. O projeto FIRE seria adaptado a uma versão home-office europeia, mas pode ser que os dias de ócio pleno fiquem ameaçados de setembro em diante.

20 Comentários

  • Voando Abaixo do Radar

    Oi Muquirana,

    Também concordo com a Elsa, você não está traindo o movimento. A beleza de ser FI é poder impor condições melhores de trabalho. Isso é algo que almejo, pois também gosto muito do meu trabalho com todas as dificuldades e desafios.

    Pretendo usar a conquista do FIRE ao meu favor e algo que já tenho pensado a respeito: Negociar no mínimo, um home office intermitente (estilo 2~3 semanas trabalhando remoto e 1 semana presencial). A ideia ainda está maturando e quero usa-la quando for o momento oportuno.

    Abraços,

    • sempresabado

      Olá VAR, me parece um bom plano esse seu de HO intermitente. Muitas pessoas dizem gostar de poder dar uma passadinha no escritorio de vez em quando para socializar. Boa sorte na caminhada. Abs!

  • ABM

    Muquirana, acho que você deve evitar o ruído externo e decidir única e exclusivamente a partir da sua disposição em abraçar esse compromisso, dos possíveis benefícios e da sua dinâmica familiar. A busca para conquistar FIRE é uma receita de bolo muito bem testada. Se você fizer tudo que está lá, vai dar certo. Para ser FIRE não tem receita. Tem alguns ingredientes interessantes, mas cada um tem que construir algo por sua conta, algo que será único e difícil de replicar. Viva sua conquista como você quiser e desfrute de todos os privilégios de poder escolher apenas o que você quer fazer, seja lá o que isso for. Um abraço!

    • sempresabado

      Oi ABM! Que bom ver voce por aqui! 🙂
      Nunca tinha pensado nisso, a vida FIRE nao tem receita mesmo ela acaba sendo única e muito pessoal. Excelente ponto e muito obrigada pelo incentivo. um abraço!

  • TR

    Olá Muquirana, muito legal essa proposta, mostrar que você agrega muito valor ainda pra eles mesmo longe e com todas as adversidades que disse.

    Eu não considero uma “traição” do movimento, temos que fazer o que nós da prazer e nós faz feliz, então se esse é o caminho só vai, na minha visão o movimento fire é muito mais psicológico do que fazer de fato o que a maioria prega, é ter a consciência que caso queira sair desse emprego no meio dele você pode porque você está preparada pra isso, tanto com uma mente livre quanto com um bolso firme rsrs.

    Espero que tome a melhor decisão pra você e sua família, fico feliz com a “não venda” do Verão, aproveite aí!

    Abçs

    • sempresabado

      Olá TR, obrigada pelo apoio! Pois é, vender um tempo no inverno é muito mais facil do que no verao rsrsrs. A ideia é buscar uma formula de trabalho que seja prazeirosa e nao mais um fardo. um abraço!

  • Viver Sem Pressa

    Oi Muquirana, eu te entendo, mas não acho que deva se preocupar se está ou não traindo o movimento FIRE. O que você não deve trair é a sua vontade. A graça de ser FIRE é justamente essa, fazer o que quer. Quer voltar a trabalhar? Ótimo. Quer ficar no sofá assistindo filmes o ano inteiro? Ótimo também. Nada mais importa a não ser a sua opinião. E você só pode estar nessa situação de escolher o que quer para a sua vida, porque agora você está no controle. Trabalhe por mais alguns anos, você sabe que poderá parar a qualquer momento, ou de repente vai gostar tanto do que faz que vai querer trabalhar até de graça (como meu marido). Você já é FIRE querida, você pode tudo. Beijos.

    • sempresabado

      Oi Yuka querida, obrigada pelo apoio. Pois é, quando a gente é FIRE tem tanta liberdade que nem consegue ver a grande quantidade de opçoes disponiveis. Eu estava vendo as coisas pelo copo meio vazio, mas a verdade ele está mais para cheio. um beijo!

  • Vagabundo

    Minha amiga, te digo uma coisa: pagando bem, que mal tem ? Se os caras ainda vao te esperar nao tem nem o que pensar. Defina um objetivo pra essa grana extra e manda brasa !!! Eu estou voltando por ser mercenário mesmo, eu quero é dinheiro ! Vc ainda gosta do que faz, é uma situação privilegiada. Cade meu autógrafo ? 🙂

    • sempresabado

      hahaha já falei que vc eh meu idolo! desbravador na ida e na volta do FIRE! te conto depois no que vai dar essa. abraço!

  • Éllen

    Que riqueza a sua possibilidade de escolha Muquirana!!! Imagino o quanto este verão não será maravilhoso… e como aparecem oportunidades irrecusáveis quando não estamos tão desejosos! Rss. Concordo plenamente com a Yuca: o que importa é apenas a sua vontade. Um abraço!

    • sempresabado

      Obrigada pelo apoio Éllen, pois é as coisas acabam fluindo bem quando a gente menos espera. Uma amiga chama isso de “jogar pro universo”. um abraço!

  • Gustavo

    Mutirons depois se puder é claro. Poderia informar mais detalhes da sua experiência em ser fire na Europa. Meu objeto final seria aposentar fire em Portugal.
    Se por possível informar como foi ou dicas de como adquiriu imóveis aí na Europa, e também porque escolheu o país que vc se encontra hoje morando ou outras informações relevantes

    Desde já agradeço

    Obrigado

  • Pequeno Investidor

    Olá, Muquirana!

    É muito bacana poder avaliar e valorizar seu tempo como tem feito.

    Independente de sua decisão, seguirei acompanhando e aprendendo com essa história hahaha

    obrigado por compartilhar!

    P.I.

  • IFólogo Pop

    Oi Muquirana!

    As condições da sua proposta são o meu sonho de consumo! rsrs Mostra que você é muito boa no que faz(ia)!
    Também não acho que você estaria traindo o movimento FIRE. Independente do que você decidir, será porque você realmente quer aquilo, e não porque você precisa “botar comida na mesa”.
    Poder trabalhar por opção, e não por obrigação, está totalmente alinhado com a ideia FIRE, na minha opinião.
    Boa sorte!
    Ansioso pelos próximos capítulos! kkk
    Um abraço!

  • Pobre Japa

    Meu Deus que blog incrível! Como eu não o havia lido antes?
    Muito legal a trajetória de vocês! Li uns posts soltos mas acho que vou dar uma “maratonada” hahaha

    Muito legal mesmo, abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.