Carreira,  Muquirana,  Reflexões

Minha década no escritório

Photo by Marten Bjork on Unsplash

Esse post foi motivado pela retrospectiva que o Frugal sugeriu. Achei interessante e resolvi olhar pra trás para ver a Muquirana de janeiro de 2009.

Vi uma estudante com um bom diploma de graduação e que estava acabando os 2 mestrados que fez ao mesmo tempo. Feliz, saudável, ainda corria meia maratonas e era cheia de amigos. Porém com a crise de 2008 não havia qualquer perspectiva de emprego e essa Muquirana não tinha nenhum tostão no bolso. Vivia da bolsa da Capes e da ajuda que a mãe dava pro aluguel.

Naquela começo de ano mandava cerca de 20 e-mails e CVs por dia, mas só em julho consegui ser contratada. Como profissional altamente qualificada meu primeiro emprego pagava muito bem. Dei sorte. Só consegui trabalho nessa época em que todo mundo estava sendo demitido porque tinha estudado nos lugares certos com as pessoas certas e meus professores tinham muitos contatos no mercado de trabalho. Um amigo me falou de uma vaga milagrosa que surgiu na empresa onde ele trabalhava e um professor conhecia o chefe do departamento. Como eu tinha ido muito bem nas matérias dele, pedi uma recomendação e consegui a vaga.

O caminho a partir dai foi muito mais difícil do que eu imaginava. Quando você passa anos estudando coisas profundas na academia acha que no mundo real os problemas são facilmente resolvidos, que difícil mesmo é fazer tese e resolver problemas sem solução. Ledo engano amigos, difícil era ir morar na cidade grande, engolir sapo, escutar bronca, trabalhar o dia todo sentada, atender demandas de pessoas em outro fuso horário e tentar manter uma vida pessoal. A vida acadêmica era um passeio. Fazia meu horário, estudava do meu jeito, escrevia artigos e pesquisava sobre o que me interessava. Quando queria viajar dava umas aulas, ia a congressos ou fazia uns bicos de consultoria. O mundo real foi muito bom para passar um trator no meu ego acadêmico de boa aluna e esportista wannabe.

Conheci os problemas do mundo corporativo: insônia, gastrite, alergias auto imunes e depressão. Engordei 6kgs em 3 meses, e quando olhava pra frente não conseguia imaginar passar o resto da vida naquele ritmo trabalho-casa-trabalho. Também não havia qualquer chance de pedir demissão ou mudar de emprego em 2009/2010. Eu via gente boa sendo demitida todo dia e sabia que tinha dado MUITA sorte de estar onde estava. Comecei a estudar sobre finanças enlouquecidamente, investimentos e a juntar dinheiro para sair da corrida dos ratos. Meu primeiro emprego foi tão traumático que comecei a juntar dinheiro assim que caiu o primeiro dinheiro de verdade. No começo tive muita despesa e acabei gastando mais do que devia para me “socializar na cidade grande”. Sou muito grata a ter tido uma experiência tão chocante de trabalho. Se não tivesse passado tanto apuro naquela época dificilmente teria começado a poupar desde cedo. Se nao tivesse estudado coisas tão bizarras no mestrado nao teria aprendido finanças tão rápido quando comecei a trabalhar. Era acostumada a passar noites em claro. Resolvi todos os exercícios de uns 2 livros de matemática financeira e li inúmeros outros de finanças e contabilidade. Tenho certeza que fiz o equivalente a um MBA em finanças sozinha.

O tempo foi passando e fui dando meu jeito de ir para uma área que gostava mais. Eu tinha aceitado o emprego que apareceu, mesmo sabendo que não era o que eu queria. Fazia o que tinha que fazer para a minha área até as 18h e ficava depois até as 21h-22h trabalhando para o chefe de outra área, perguntando o que ele precisava, como poderia ajudar, o que devia ler, etc. A estratégia deu certo, em 2011 mudei de área e em 2012 consegui um emprego bem melhor no que eu queria fazer.

De 2012 a 2016 as coisas finalmente engrenaram na vida. Cheguei no posto onde queria, trabalhava com pessoas legais e no plano pessoal me casei com o Sr Muquirano, quem conheci no meio do turbilhão em 2010. O trabalho seguia stressante e pesado, a insônia, gastrite e alergias continuavam lá, a diferença era que eu estava fazendo o que queria, voltei a fazer esporte e voltei pro meu peso antigo. O dinheiro começou a vir. As taxas de poupança subiram, comprei meus aptos na Espanha, surfei os juros altos no Tesouro, conheci o Mr Money Mustache em 2015 e alavanquei ainda mais meu plano FIRE. Até então não sabia como ir acabar o jogo, só sabia que queria em algum momento parar de trabalhar e que tinha que juntar e investir muito. Meus alugueis na Espanha já pagavam quase todo meu custo de vida e já tinha alguma confiança que em breve seria FIRE.

Em 2016 as coisas viraram de uma hora pra outra. Meu feliz mundo profissional caiu! A empresa onde eu trabalhava foi vendida e os novos chefes trataram de deixar as coisas com a cara deles. Eu não me encaixava no novo modelo e acabei mudando de emprego de um jeito muito errado no meio de 2016. Fui pra um lugar onde não me identificava com as pessoas, com a cultura, etc. Foi um caos financeiro e profissional. Deu tudo errado. A única parte boa é que engravidei, tirei minha licença maternidade com todos os “benefiços” e em 2017 decidi que não ia mais escolher nenhum trabalho pensando em dinheiro. O universo sorriu pra mim e tive a oportunidade de me associar a um grupo de pessoas muito boas e pude trabalhar de forma independente e feliz. Desde então dei uma segunda alavancada muito boa na minha vida profissional e financeira e cheguei às portas do FIRE em 2019.

Valeu a pena o sacrifício? Sim. Precisava ter sofrido tanto? Talvez não. A gente acaba se levando muito a sério e leva as coisas muito a ferro e fogo. Poderia ter parado um pouco pra respirar em 2016 e ter escolhido um trabalho melhor. Talvez já seria FIRE hoje. Meus ganhos ficaram estagnados de 2015 a 2018 e foram péssimos em 2016, a renda do capital é que foi aumentando aos poucos.

Para ver como foi o caminho, calculei minha taxa de poupança olhando para os meus IR antigos. Somei a renda do trabalho, do capital e comparava com o aumento do bens e direitos para ver o que virou de fato patrimônio. O gráfico segue abaixo.

Minha taxa de poupança calculada com IRs antigos

Não sei o que aprontei em 2010 que gastei tanto, foi uma época tão difícil que saia demais, torrava em restaurantes, viagens e balada, o famoso “eu mereço”. O sr Muquirano ter aparecido na minha vida no finalzinho de 2010 foi a melhor coisa dessa época. Tirando isso vi um padrão quase obstinado em guardar dinheiro.

Olhando pros dados deu uma poupança média perto de uns 60%. O número é aproximado porque muitas coisas nunca puderam ser atualizadas no IR como os imóveis, compras de bolsa, etc. Mas de acordo com o Mr. Money Mustache com uma taxa de poupança dessas uma pessoa pode se aposentar com uns 11 anos de trabalho, que se encaixa no meu caso.

Dá orgulho olhar pra trás e ver tudo pelo que aconteceu. Logo vou zerar o jogo do capitalismo e depois um tempo de descanso e paz com a família vou pensar o que virá nos próximos 10 anos. Espero que a próxima década seja menos dentro do escritório e muito mais ao ar livre.

14 Comentários

  • Suzana Mota

    Puxa vida Muquirana, como eu gostaria de te conhecer ….. como eu gostaria de te conhecer …… como eu gostaria de te conhecer E COMO EU GOSTARIA DE TE CONHECER.

    Você é disciplinada, dedicada, inteligente, realmente alguém que eu gostaria de ter por perto, preciso me juntar a mais pessoas no seu perfil, hoje vivo num isolamento onde amigos, família, vida profissional todos vivem da mediocridade para o deboche.

    Quando penso em falar sobre finanças, guardar dinheiro e qualquer assunto dessa natureza, sou motivo de deboche ou tida como avarenta …. enfim, vivo numa solidão total nesse sentido, mas ao mesmo tempo não onde para onde correr.

    Parabéns você é simplesmente INSPIRADORA!

    • sempresabado

      Suzana, eu tenho a sorte de conhecer a Muquirana e realmente as escolhas de vida dela são inspiradoras rs
      Mas muito do que a gente conversa pessoalmente, vira um post aqui no blog! Então de certa forma vc conta com ela na sua vida…
      Sou uma amiga orgulhosa!
      Um abraço,
      Elsa

      • sempresabado

        Eu que tenho sorte de ter vc por perto Elsinha! Fico tão impressionada cada vez que vc aprimora seu plano FIRE, vc pegou o conceito e levou pra um nível profissional. Bjs!

    • sempresabado

      Oi Suzana obrigada pelas palavras!! Olha, é muito difícil não termos com quem falar de investimentos e projetos pessoais, as pessoas não entendem mesmo. Tenho muita sorte de ter a Elsa por perto porque ela é minha interlocutora solitária. Não tenha medo de ser diferente das pessoas ao seu redor. Procure cursos de coisas que te interessam, lá com certeza vai ter gente com quem você se identifica mais. Olha, estamos sempre por aqui, pode passar que a casa é sua! Abraço.

    • Viver Sem Pressa

      Eu tambéeeeeem quero ser amiga das duas!!!! rsrs
      Vocês têm muita sorte de ter uma a outra para conversar. Eu tenho o meu maridón que ouve as minhas ideias malucas e sei que isso faz total diferença.
      Definitivamente FIRE, ou IF ou qualquer outro termo ligado a esse assunto, não é visto com bons olhos pela sociedade, fazendo com que a nossa vida se torne muito solitária. Eu tenho algumas amigas da qual gosto muito, converso sobre qualquer assunto, menos sobre FIRE, já tentei, mas não vingou. Uma pena.
      Beijos.

      • sempresabado

        Oi Yuka! Tb queremos ser suas amigas! Então tá tudo certo rsrs. Olha vc tem muita sorte do seu marido não só escutar seus planos mas remar junto. Vc ganhou na loteria da vida! Abs!

  • Investidor

    Se puder, fale mais detalhadamente desses investimentos na Espanha. No mais, sua década foi inspiradora.

    • sempresabado

      Olá Investidor, comentei por alto sobre nisso em alguns posts na sessão de imóveis, mas aguarde que vou fazer uma atualização de como estão indo os investimentos lá e como operacionalizo tudo. Ótima década para nós!

  • Frugal Simples

    Olá Muquirana!
    Que bacana sua história! Parabéns por tudo! Olha não é fácil, não é.
    Fiquei muito feliz de ver esse post, me alegro mesmo de longe em saber que uma pessoa esforçada e dedicada conseguiu chegar tão longe!

    Esses apartamentos são nas Ilhas Canárias? Eu queria ir lá um dia.
    Mercado de imóveis subiu muito em Portugal nos últimos três anos e imagino que na Espanha também.

    De qualquer forma é um ativo de valor em renda forte e gerando renda no exterior, excelente para o longo prazo.
    Obrigado pela citação e mais uma vez, PARABENS!

    • sempresabado

      Olá Frugal! Olha, seus posts sao muito inspiradores. Lembro em 2016 quando estava lá encalacrada no emprego antigo que lia seu blog e ficava muito impressionada em como vc estava se esforçando e estudando, foi uma grande motivação pra mim!
      De fato não é fácil, resiliência já é difícil, manter no longo prazo então nem se fala. A parte boa é que quando as sementes plantadas brotam e as coisas começam a dar certo a sensação de realização é incrível.
      Os aptos são no continente mesmo, nunca fui às Canárias, mas tenho vontade de ir lá e na ilha da Madeira. Acho que deve ser bem interessante ver esses pedaços de Europa espalhados pelo mar.
      Parabéns pela trajetória e pela inspiração! Um abraço!

  • kspov

    Parabens Muquirina pelas suas escolhas. sua história é bem legal e nos inspira.

    A Suzana realmente quer te conhecer!!!

    Abs e bons investimentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.