Carreira,  Elsa,  Reflexões

Mudanças de emprego

Na semana passada recebi uma proposta de emprego e depois de alguns dias de negociação, aceitei a proposta. Isso significa que estou indo para o meu 4o. emprego, num período de 7 anos!

Quando comentei que estava de mudança para amigos e familiares, ouvi da maioria “de novo?”, acompanhado de uma expressão facial de reprovação. Ainda lembro de uma cena na minha última mudança de emprego, quando fui me despedir do presidente, em que ele falou “a minha sugestão para você é que você tente ficar mais tempo nessa próxima posição, essas mudanças constantes de emprego vão impactar negativamente seu currículo”.

De fato, quem muda muito de emprego é visto de forma negativa. Afinal, algumas características desagradáveis são associadas a mudanças constantes: pessoas intolerantes, pouco resilientes, difíceis de lidar, com mania de perseguição. Isso tudo pode fazer com que a pessoa não “pare” em lugar nenhum. Mas não são os únicos motivos.

Quando eu estava trabalhando a apenas 1 ano nessa nova posição, fui procurada por um HeadHunter. Não tive dúvidas e aproveitei que estava de frente com um profissional e perguntei “se eu mudar, vai ser minha 4a mudança de emprego em 6 anos, o máximo que trabalhei em uma empresa foram 2 anos e meio, isso não vai pegar mal no meu currículo?”. A resposta dele foi muito direta “Não, desde que a trajetória seja claramente ascendente, ninguém vai estranhar as mudanças constantes.”

De fato, a minha trajetória é bem bonitinha. Sai do mestrado para uma grande empresa. Da lá fui para uma empresa pequena mas que era promessa de sucesso e “chefiada” por pessoas com nome no mercado. A empresa pequena não deu certo, e voltei para uma empresa grande. Agora estou indo para uma empresa com uma fama ainda melhor que a minha atual. Pro meu pai, que não entende nada do ramo em que trabalho, expliquei assim “é como se eu fosse um jogador do Corinthians sendo contratado por um time europeu. Ainda não é o Barcelona, então saiba que eu posso mudar de emprego de novo!”. E sim, se nos próximos anos surgir uma oportunidade no “Barcelona” do meu ramo, eu mudo de emprego de novo.

Eu tenho bons exemplos de pessoas muito bem sucedidas e que já mudaram várias vezes de emprego. Todas me falaram exatamente a mesma coisa “se você tem uma história por trás das mudanças, e que faça sentido, não vão te avaliar mal pelas mudanças constantes”. A última pessoa que conversei até ressaltou um ponto positivo: “as mudanças constantes podem sinalizar que você é uma pessoa valiosa para o mercado, com diferentes tipos de experiência e mais tolerante e acostumada com o novo”.

Eu definitivamente não planejei mudar tanto. Sempre que comecei em uma nova empresa, achei que ficaria lá por alguns bons anos. O que motivou as minhas mudanças constantes eram oportunidades melhores, principalmente do ponto de vista financeiro.

Aproveitei esse momento de mudança para analisar os meus salários passados e ficou claro que essas mudanças foram muito benéficas do ponto de vista financeiro. Comecei a trabalhar em 2013 e a primeira mudança foi 1 ano e meio depois, e em 2015 já ganhava 40% a mais. Em 2016, fui promovida na empresa e recebi um aumento de 20%. Em 2017, mudei de novo de empresa, o que significou um aumento de 40%. Em 2018 meu salário ficou estável. Em 2019, fui promovida e recebi mais um aumento de 20%. Agora, com a nova mudança de emprego, consegui negociar um aumento de mais 40%. Ou seja, nas promoções dentro da empresa consegui em média 20% de aumento enquanto que nas mudanças de empresa consegui aumentos de 40%. O saldo foi muito positivo!

Talvez se manter fiel a uma empresa pode te ajudar a subir na ladeira corporativa. Se surgir uma oportunidade de promoção na sua área, provavelmente quem está na empresa há mais tempo tem mais chances. Mas nada está escrito em pedras e a oportunidade dentro da empresa pode nunca surgir. Então se surgiu uma oportunidade melhor fora, por que não aproveitá-la?

Como meu objetivo final não é uma carreira de sucesso no mundo corporativo e sim a independência financeira, fica óbvio para mim que eu não posso negar oportunidades de ganhar mais. Um bom exemplo de pessoa que mudou muito de emprego na comunidade FIRE, é a Liz do Frugalwoods. Nesse post aqui ela comenta a trajetória profissional dela ruma à IF, e é cheia de mudanças de empregos, inclusive de cidade.

Por fim, para me ajudar, fiz uma lista dos prós e contras das mudanças de emprego, que podem ajudar quem precisa tomar uma decisão assim.

Prós:

⁃ Possibilidade de negociar um aumento de salário bem maior. Se você pedir um aumento de 40% para o seu chefe, provavelmente ele vai te falar que a política da empresa não permite aumentar as remunerações de forma tão agressiva. Numa empresa nova você tem a vantagem deles não saberem o quanto você ganha hoje e dizer que só topa a mudança de o salário for X. No meu caso agora, eu já falei que ganhava 20% acima do que eu ganho e que só topava mudar para ganhar 30% a mais. Chegamos num meio termo em que a empresa achou que estava me pagando só 20% a mais, mas na verdade eu to levando 40% a mais.

⁃ Conhecer gente nova e aumentar o network

⁃ Conhecer uma nova estratégia de negócios para o seu ramo

⁃ Mudar a reputação. As vezes criamos uma reputação na empresa que é difícil de mudar. Quando você começa numa empresa nova, pode se posicionar de outra forma para evitar aquela reputação que não gostava.

Contras

⁃ Começar do zero. O primeiro dia numa empresa nova é bem ruim. Você não conhece ninguém, ainda não tem suas ferramentas de trabalho e já comecei em lugares que não tinha nem o crachá que dava acesso ao banheiro. Além disso, precisa correr para criar uma boa reputação logo no começo, dado que a primeira impressão é a que fica. Mas é um problema temporário, em geral em 3 meses você já estará bem adaptado;

⁃ Risco de não se adaptar. Você pode pesquisar bastante sobre o clima da empresa, mas só vai saber se aquilo serve para você quando tiver vivendo na pele, todos os dias;

⁃ Abrir mão das férias. Emprego novo tem que ficar pelo menos 1 ano sem tirar férias. Mas é negociável na entrada. Eu costumo sempre pedir para tirar pelo menos 2 semanas nesse primeiro ano;

⁃ Não ter mais a convivência diária com colegas queridos no empregos antigo. A parte boa é que a partir de agora, como não tem mais uma relação de trabalho, vocês podem virar amigos de fato!

E vocês? Gostam de mudar de emprego? Vem isso com maus olhos?

12 Comentários

  • ABM

    Concordo com o que o headhunter respondeu, mas acho que vale a pena cada profissional considerar um pouco qual um ciclo básico para se ter algum tipo de resultado na sua área de atuação. Mesmo que haja ascensão constante, se vc está em um nicho de atuação profissional em que meio que todo mundo se conhece ou ouve falar uns dos outros, abandonar o barco muito precocemente sem garantir algum tipo de resultado pode desgastar um pouco a sua reputação. Eu particularmente adoro mudança, mas chega um ponto que o custo de transição vai ficando cada vez mais alto, para assimilar a nova cultura institucional e gerar resultado de alto nível. Se vc tem energia para dar conta, eu acho que vale a pena arriscar.

    • sempresabado

      Interessante seu ponto ABM.
      A única ressalva é que os ciclos das empresas costumam ser bem curtos também, pelo menos no ramo que trabalho.
      Os chefes mudam, os chefes dos chefes mudam, as prioridades mudam e muitos projetos são abandonados.
      Talvez realmente exista um nível em que o custo seja mais alto. Eu acho que ainda não estou nesse nível, rs.
      Abs!

  • ANA

    Primeiramente, meus parabéns pelo novo emprego!
    Como a grande maioria pensa, eu também achava que não era legal mudar tanto de emprego, mas vendo por outro lado – mostrado no post – achei bem bacana. Esta postagem caiu como uma luva: eu estou querendo mudar de emprego, mas ainda com algumas dúvidas.

    Abraços!

    • sempresabado

      Obrigada pelos parabéns Ana!
      Sei que você está em busca de respostas na carreira e acho que abrir a cabeça e ver o seu valor no mercado ajuda muito!
      Boa sorte nessa nova etapa! Precisando de ajuda, conte com a gente!

  • Executivo Investidor

    Parabens Elsa! Mudar nem sempre é facil, mas precisamos estar abertos a desafios sempre que estejam em linha com nosso objetivo!
    Nao sei qual sua area de atuacao, mas eu tambem mudei bastante no inicio da minha carreira, com ciclos de 2-3 anos antes de ficar quase 10 anos na ultima empresa antes de vir para o Canada. Quando comecei a trabalhar eu tinha em mente dois objetivos: um de longo prazo que era atinguir minha IF, e outro mais de curto prazo que era chegar a um cargo de diretoria antes dos 35 anos. Nao sei se eu conseguiria atinguir ambos se eu continuasse na primeira empresa, mas certamente as mudancas me ajudaram a chegar la!
    Eu recomendo a sempre buscar se envolver em algum projeto importante do inicio ao fim, ou promover algum resultado fora do padrao por algo que voce implementou pois isso ajuda muito quando se muda de emprego em pouco tempo, pois voce tem resultados concretos para falar. Seu historico de negociacoes de salario sao excelentes, keep going!

    Abs!

    http://www.executivoinvestidor.com

    • sempresabado

      Oi EI, obrigada pelos parabéns!
      Na minha área os projetos são de curto prazo, rs, então já entreguei vários em curto espaço de tempo. Mas concordo com você, o mais importante é deixar um legado na empresa, algo que as pessoas depois lembrem de você!
      Chegar a diretoria com 35 anos era um plano bem ousado! Vc conseguiu?
      Um abraço!

  • Executivo Investidor

    Consegui sim, aos 33. Isso sinceramente me ajudou também a decidir “parar” sem ter a frustração de não ter conseguido atingir meus objetivos pessoais.
    Por mais que nosso desejo de longo prazo seja a vida FIRE, devemos viver o presente e ter metas profissionais também, nem que sejam tão simples como “ganhar um aumento de X” ou “trabalhar na empresa Y”. Eu sou movido a esses desafios de médio prazo e isso certamente fez com que a caminhada para FIRE ficasse menos penosa e hoje olhando para trás o tempo passou super rápido!
    Abraço e sucesso nesse novo desafio!

    • sempresabado

      Caramba EI! Muito legal, parabéns!
      É, concordo que tem alguns sonhos pessoais ligados à carreira q não necessariamente estão relacionados à FIRE. Eu tenho algum sonho de chefia sim, mas se a IF vier antes, acho que abro mão rs

  • Sniper Investidor

    Eu já procuro me fixar no mesmo lugar (perfil diferente) meu primeiro emprego fiquei lá por 8 anos, nesse meu segundo emprego de carteira assinada em janeiro faço 8 anos e provavelmente vou ficar nele até conseguir atingir minha FIRE ( concursado da CEF). Planos que daqui a exatos 14 anos (quando completo 50 anos) chego no RH e peço minha demissão.

    Conheci seu site ontem e já estou devorando seus posts.

    Um beijo grande

    Sniper

    • sempresabado

      Oi Sniper! Bem vindo ao nosso blog!
      Carreira de concursado é realmente diferente. Os benefícios são muitos, e fica difícil abrir mão.
      Mas legal, cada um na sua trajetória, mas o objetivo é o mesmo! Boa sorte na sua jornada!

  • Rubinho

    Empresa que reclama que alguém ficou pouco é empresa que gosta de gente encostada e dependente. Tem que sair logo mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.