Elsa,  FIRE,  Reflexões

Por que eu quero me aposentar?

 

clear glass with red sand grainer
Foto por Pixabay em Pexels.com

Vamos deixar algo claro aqui: eu não odeio meu trabalho. Na verdade eu me sinto privilegiada por desempenhar a atividade que faço. De certa forma, apesar de passar fisicamente muitas horas do dia fechada dentro do meu escritório, minha mente está constantemente vagando pelo mundo em busca de informações. Mas como todo trabalho, tem seus lados negativos. O principal deles, para mim, é a necessidade de estar presente, 12h por dia, de seg a sex aqui no escritório. Não ter a liberdade sobre boa parte do meu tempo não compensa a satisfação que encontro na minha profissão.

Eu não tenho problemas com rotina, e com certeza terei uma rotina quando me aposentar. Mas me incomoda ter que acordar com o despertador, todos os dias, no mesmo horário, independentemente se eu tive uma boa noite de sono ou se eu passei a noite em claro. Não gosto também do pouco tempo que sobra para realizar atividades físicas e cuidar da minha saúde. Um dos relatos mais interessantes que eu li de um “aposentado” foi o quanto ele se sentiu menos stressado depois da aposentadoria, e que não se dava conta da vida estressante que levava quando trabalhava. E com certeza, não gosto de ter que almoçar fora todos os dias (por mais que isso parecesse incrível na infância, rs).

Eu consigo aproveitar meus finais de semana e tiro férias todo ano. Não estou em um emprego que exige dedicação além dos dias úteis. Mas viajar por 15 dias para um lugar incrível não é o suficiente para mim. Meu sonho é fazer um slow-travel: ficar por 3 meses em algum lugar incrível, curtindo com calma cada aspecto da cultura daquele lugar e sentir um pouco como uma moradora local. Só que isso é impossível enquanto eu preciso trabalhar. Eu sei que sem trabalho, não há necessidade de tirar férias porque todo dia é sábado, e acho que sentirei falta da sensação maravilhosa de sair de férias, mas definitivamente vai compensar não ter a chamada depressão pós-férias.

E, por fim, eu gosto da minha profissão mas tenho outros interesses, outros conhecimentos que ainda quero buscar. E acho que quando eu não precisar trabalhar mais por dinheiro, terei a liberdade e tempo para desenvolver esses outros lados sem a pressão de ser muito bem sucedida neles.

É curioso que quando comento que estou caminhando para a minha aposentadoria aos 30 anos de idade muita gente responde “você deve odiar o seu trabalho”. A verdade é bem diferente: eu sou feliz no meu trabalho mas também sou muito feliz fazendo outras coisas que hoje simplesmente não tenho tempo para me dedicar. O tempo é um dos recursos mais valiosos que temos e infelizmente a nossa sociedade se acostumou a dedicar pelo menos 40 horas por semana a apenas uma atividade.

Eu não busco a aposentadoria para ficar de pernas pro ar, fazendo nada numa praia paradisíaca. O que eu busco é mudar essa equação das 40 horas semanais ocupadas, e poder ter a liberdade de viver a vida que eu julgo ser a melhor e mais proveitosa para mim. E é por isso que algumas pessoas tem resistência em usar o termo “aposentadoria” e preferem “independência financeira”. Eu, por simplicidade, continuarei falando de aposentadoria por aqui.

E você? O que a aposentadoria significa?

Elsa

8 Comentários

  • Frugalidade Hacker

    Dia desses eu estava no meu trabalho pensando na minha vida e nas atividades paralelas que eu amo fazer (e que até rendem algum dinheiro) e concluí: “Caramba, tenho tanto trabalho pra fazer mas o meu trabalho não deixa!”

    Tenho exatamente esse mesmo sentimento que você transmitiu no texto. Apesar de eu não comentar com praticamente ninguém sobre meus planos de aposentadoria precoce, vejo que um argumento muito utilizado pelos questionadores é “basta encontrar um trabalho que você ame”. A questão não é essa. A questão é exatamente esta: há milhares de coisas que eu gosto de fazer que não necessariamente são revertidas em remuneração.

    Abraço

    • sempresabado

      Eu e a Muquirana sempre caímos nessa também, de pensar se não devemos procurar um trabalho que a gente ama.

      Mas acho que essa questão de “paixão” pelo trabalho é superestimada. Difícil você se sentir apaixonado por algo 40h semanais, é muita coisa. E mesmo que você se sinta, as coisas podem mudar (chefe, equipe, guidance da empresa) e essa “paixão” virar um pesadelo!

  • MissDenarii

    A frase “E com certeza, não gosto de ter que almoçar fora todos os dias (por mais que isso parecesse incrível na infância, rs)” me representa! Eu raramente comia fora de casa (ou pedia comida em casa) quando era criança e morava com meus pais. Quando passei a ser dona do meu nariz achei que isso ia ser maravilhoso, mas… Simplesmente não é! Recentemente pus na ponta do papel o quanto eu gastava almoçando/jantando fora por mês, e quase caí pra trás quando vi.
    Enfim, vejo a busca pela IF não como uma aposentadoria, mas sim como a possibilidade de buscar um trabalho que não te obrigue a trabalhar 12 horas 5x por semana – que seja trabalho voluntário, abrir um negócio com menos pressão, algo que te permita viajar quando quiser…

    • sempresabado

      Exatamente!
      Eu lembro que meu pai nunca queria comer fora aos FDS porque ele já comia fora a semana toda! Eu ficava doida com ele, mas agora entendo super!
      Até porque mesmo trazendo marmita, e comendo a minha própria comida, é uma comida requentada né? Acho um luxo poder fazer e comer um almoço fresquinho todos os dias!!!
      Obrigada pelo comentário!

      • sempresabado

        Quando eu estava de licença maternidade almoçava um almoço fresquinho em casa todo dia. Fiz isso por 7 meses e foi incrível! Me lembro qd voltei a trabalhar e na 1a semana fui no restaurante a quilo que eu sempre ia. Nossa é um cheiro bizarro de gordura com ar condicionado! Fiquei pensando como eu adorava aquele quilo e agora o cheiro me dava repulsa! Agora estou trazendo meu almoço pro escritório, como a comida requentada mas pelo menos não gasto e não tem esse cheiro ruim e a fila no buffet!
        Abs!
        Muquirana

  • Camis

    Comecei o site agora, gosto de pegar do principio…já me identifiquei logo no primeiro post que li…é engraçado não poder compartilhar nosso estilo de vida com os amigos, eles acham q ganhamos na sena, não admitem q apenas economizamos e estudamos sobre finanças!! Por isso me sinto bem lendo os sites estilo “fire”… achei o de vcs agora, vou começar a jornada de leitura até o último tópico;)

    • sempresabado

      Que legal Camis! Bem vindo ao nosso blog!!
      Espero que curta e venha aqui comentar sobre a sua jornada tb
      Abs Elsa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.