Elsa,  Investimentos

Quanto é o suficiente?

Eu sou do tipo que fala pra todos os meus amigos próximos e familiares sobre os meus planos de independência financeira. Tem gente que prefere não comentar com ninguém. Realmente é mais fácil não comentar com ninguém e estar blindado de críticas, mas uma vez ouvi de um blogueiro algo que fez muito sentido: “se meu melhor amigo vira pra mim e fala que conseguiu se aposentar, eu ficaria muito puto que ele não me contou o segredo antes para que eu me aposentasse também!”. Acho mesmo que a independência financeira é uma das maiores descobertas que fiz e ficaria p* da vida se a Muquirana surgisse daqui um tempo, toda feliz e aposentada, sem ter compartilhado o segredo dela comigo antes. Tks Muquirana, devo tanto a você, rs. Então faço o mesmo com amigos próximos.

Nas últimas semanas, tive 3 conversas assim, em que falei com quanto de patrimônio acumulado eu pararia de trabalhar e ouvi de todo mundo: “é muito pouco!”

Curioso que as pessoas reagem assim sem nem ao menos saber qual é o meu padrão de vida. Como bem sabemos, o tamanho do patrimônio depende de quanto você gasta (principalmente de quanto pretende gastar na aposentadoria) e de quanto o seu dinheiro rende. O primeiro fator depende só de você, já o segundo é bem menos controlável.

Quanto você pretende gastar?

Da lado do quanto você pretende gastar na aposentadoria eu já comentei aqui que acho um absurdo quem fala que fica no trabalho porque não teria condições de pagar o plano de saúde. Eu já pensei muito sobre isso e cheguei à conclusão de que o plano de saúde vai ser o único gasto extra que terei quando tiver aposentada.

“Mas você vai ter mais tempo livre, vai gastar mais”. Errado, vou ter mais tempo livre, vou poder usar mais transporte público ao invés de Uber porque serei dona do meu tempo. Vou ter tempo para planejar programas gratuitos. Até curso de yoga gratuito no parque eu vou poder fazer,que hoje não posso porque é bem no horário do meu trabalho. Vou poder fazer psicanalise de graça com os estudantes, que só atendem de terça feira à tarde. Vou poder viajar nos horários que ninguém pode e que portanto são mais baratos. Então não, meu tempo livre vai me ajudar a economizar mais dinheiro e não a gastar mais!

“E os gastos com filhos?”. Hoje eu não tenho vontade, por inúmeras razões. Mas uma delas é que não acho que trabalhar por mais 10 anos, 40h por semana, só para ter filhos que por sua vez vão ter que trabalhar por mais alguns bons anos, 40h por semana, para que eles possam ter filhos e etc. faça sentido. Prefiro viver a minha vida no máximo do meu potencial do que continuar presa na vida corporativa e colocar mais alguém no mundo que também ficará preso nessa vida em algum momento. Sei que pareço bem egoísta ao dizer isso, mas já fiz as pazes com essa palavra, rs. Realmente a escolha de não ter filhos é egoísta, e tudo bem ser egoísta desde que isso não faça mal pra ninguém, o que é o caso.

“E se seus pais precisarem de ajuda financeira?” Realmente nisso eu preciso reconhecer que sou privilegiada. Meu pai fez o pé de meia dele direitinho e falamos abertamente sobre dinheiro, então sei que as chances dele precisar de mim por questões financeiras são remotas. O que meu pai vai precisar com o passar dos anos é da minha companhia, alguém pra ajudá-lo quando o corpo envelhecer, mais do que uma ajuda financeira. Minha mãe infelizmente faleceu 10 anos atrás. O que isso me ensinou é que o tempo com as pessoas que amamos é muito pequeno. Então prefiro um plano que me de muito tempo com as pessoas e não um que me possibilite dar muito dinheiro a elas no futuro.

“E se você quiser gastar mais no futuro?”. Se eu mudar de ideia, aí traço um plano para adaptar a minha vida. Mas se eu precisar fazer um plano agora que cumpra com todas as possibilidades futuras de vida, aí fica quase impossível sair da corrida dos ratos.

Quanto o seu dinheiro vai render?

Quando começamos o blog eu fiz um post sobre a regra dos 4% brasileira em que concluía que bastava comprar o Tesouro IPCA e pronto: o seu dinheiro renderia 4% ao ano. O problema é que de lá pra cá, o Tesouro IPCA já não rende mais tanto assim. Hoje, tirando os custos e imposto de renda, rende quase 2% ao ano, bem abaixo dos 4%.

Minha estratégia tem sido reduzir minha alocação em Tesouro Direto e aumentado a alocação em bolsa, tanto aqui quanto lá fora. A explicação é simples: confio na capacidade analítica de pessoas que atingiram o mesmo objetivo que eu quero, rs. Ou seja, se Mr Money Mustache, Madfientist e JL Collins estão ok com a regra dos 4% comprando bolsa, então eu também estou.

Adoraria fazer um Stock Series a la Brasil, mas ainda não sei se o Brasil virou Suíça mesmo e se em poucos anos não teremos Tesouro IPCA sendo o suficiente pra bater a regra dos 4% de novo, então tenho medo do esforço ser em vão. Mas se as coisas continuarem assim por mais um tempo, acho que seria super interessante. Enquanto isso, recomendo super a leitura da versão gringa. Se não tem coragem de comprar bolsa brasileira, da pra comprar bolsa americana aqui também (famoso IVVB11).

Então mesmo com o Tesouro IPCA pagando taxas bem magrinhas, ainda fico tranquila com a expectativa de um retorno de 4% na aposentadoria investindo em bolsa. Nos anos de retorno mais magro, ainda teria alguma gordura nos gastos para cortar e poderia arranjar alguma forma de renda dando aulas, fazendo trabalhos de free lancer, e até voltar ao mundo corporativo por um tempo. Como disse, acho que prefiro esse plano do que o plano alternativo de trabalhar até o fim dos tempos, rs.

15 Comentários

  • AA40

    Muito bom Muquirana, mas fiquei com uma curiosidade danada para saber qual o valor que eles acharam “ah é muito pouco”. Poderia nos falar? Abcs

    • sempresabado

      Hahaha AA40, entendo a curiosidade mas ainda sou da turma que tem medo de falar em valores por aqui. Ainda moramos no Brasil, não é mesmo? Abs!

  • ABM

    Também acho que seja impossível ter um plano que cubra todas as situações. Se a pessoa deixa uma margem de segurança, já previne muita coisa. Rotular quem não quer ter filhos de egoísta é uma postura um pouco equivocada na minha opinião. Existem inúmeras formas de relações humanas e ser responsável por uma criança é apenas uma dessas formas e não é um desejo de todas as pessoas. Algo bem natural no meu ponto de vista. Sinceramente, acho bem legal que você seja uma pessoa tão aberta e se sinta bem com isso. Acho que é o tipo de postura que algumas pessoas se sentem energizadas ao adotar. Já outras, se sentem drenadas com a exposição.

    • sempresabado

      Obrigada ABM!
      Acho que quem busca segurança demais acaba não fazendo nenhuma mudança muito relevante na vida…
      lindo oq vc falou sobre relações humanas! Obrigada

  • Muquirana

    Elsa, que post legal! Eu evito ter essa conversa com as pessoas porque me cansei das críticas. Fico feliz que vc não só escutou meus planos mirabolantes em 2015 como achou legal ao invés de achar maluco!!
    Sua decisão sobre os filhos é madura e sensata, concordo totalmente com o que a ABM disse. Boa sorte e força na sua jornada.
    Bjs
    M

    • sempresabado

      Muquirana, sei bem das críticas q vc já ouviu, rs
      Mas olha só, conseguiu me converter! Eu ainda não consegui ninguém, rs, mas sigo disseminando a ideia!
      Beijos

  • Vagabundo

    Mais um – quanto eles acharam pouco ?
    Comentei meus planos de IF com uma pessoa uma vez e foi muito estranho. Não sei ainda se ele entendeu a idéia. Cada um tem sua realidade e às vezes é difícil entender a posição do outro. Sei lá. Preferi nao comentar com mais ninguem. Quem quiser é só correr atras que acha informacao, assim como eu achei.

    • sempresabado

      Isso é engraçado né, pq o conceito é simples mas existe algum tipo de cegueira social que impede as pessoas se entenderem.
      Eu tenho um amigo, engenheiro, que sabe fazer conta, mas que tem certeza q eu devo ganhar milhões no trabalho hoje dado que pretendo me aposentar em poucos anos, rs. Curioso né?

  • Lestat

    Parabéns pelo post!!

    Essas conversas sempre aparecem no trabalho. Não vou me juntar ao coro, mas vou falar o que já ouvi no meu trabalho (área da saude): um colega meu me disse que era preciso no mínimo 15 milhões para se ter uma aposentadoria “tranquila”. Esse número é varias vezes maior que meu número mágico.

    Isso vai sempre estar dependente de como é o padrão atualmente gastos.

    Você acha que a regra dos 4% é segura no Brasil? Em reais só, sem diversificar fora?

    Essa conta é realmente bem simples: 25 vezes o gasto anual ou 300 vezes o gasto mensal.

    Bastem fala em renda passiva 2-3 vezes o gasto mensal

    Acredito que é possível atingir esse valor suficiente e arrumar um emprego realizador ou empreender. Cada dia que passa penso que ficar completamente à toa não seria muito saudável.

    No meu caso q rotina é absurdamente pesada, trabalho noturno, cobranças absurdas de produtividade, etc. por isso meu número atual é de 5 milhões (livres, fora imóvel próprio). Dessa maneira conseguiria ter uma rotina mais leve e ainda ter alguma renda ativa.

    Muito obrigado pelo seu blog, acho o nome genial! Relaciona bem com meu desejo, sábado de manhã e meu período favorito na semana. Que bom seria se sempre fosse sábado!!

    • sempresabado

      Aqui no trabalho sempre surge também! E em geral são valores altos como vc falou! No trabalho não comento sobre os meus planos não, falo só com amigos próximos mesmo.

      A regra dos 4% no Brasil era tranquila quando o Tesouro IPCA pagava isso. Em bolsa, historicamente, não fiz o estudo ainda! Eu diversifico fora sim, como 25% dos meus gastos são viagens, invisto 25% disso em dólar. Mas compro ETF de S&P mesmo, não faço nada muito sofisticado!

      Concordo com você, e acho que dificilmente não teria nenhuma renda extra no futuro pq não pretendo ser improdutiva. Mas tudo que vier vai ser um plus! Luxo! Rs

      Que bom que gostou do nosso blog ! Eu obviamente amo o nome tb, é um belo desejo não? Que todos os dias sejam sempre sábado!

  • Ana

    Elsa, eu só comento sobre esse tipo de assunto com meu namorado. Já falei com algumas pessoas que achei q gostariam de saber mas não notei interesse (pelo contrário, nenhuma demonstração de curiosidade), então não insisti no assunto.
    Abraços!

    • sempresabado

      É muito curioso isso né Ana?
      Tanto gente reclamando da rotina, do trabalho, mas não quer saber como mudar isso!
      E tem gente preocupada que a comunidade FIRE pode gerar menos consumo, rs, acho que ainda estamos longe disso!
      Abs!

  • meu número mágico é 2 milhões, o que daria 6600 ao mês hoje, na regra dos 4%. e isso é bem mais do que preciso hoje (levo uma vida simples, mas aproveitando, inclusive viajando pro exterior uma vez ao ano pelo menos).

    porém, como também não tenho filhos e não terei herdeiros, posso me dar ao luxo de começar queimar patrimônio a certa altura da vida, ou usar o próprio patrimônio como reserva de emergência. sempre com tudo calculado e botando a expectativa de vida bem lá em cima pra não correr risco de gastar toda a grana antes de morrer.

    • sempresabado

      Boa Zé! Tb me permitirei ir queimando o principal quando for mais velha, principalmente com cuidados com a saúde que tendem a ficar mais caros.
      O que importa é chegar lá, olhar pra trás e ver que teve uma vida bem vivida! E não presa na corrida de ratos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.