Elsa,  Gastos,  Reflexões

Quanto o amor próprio já me economizou de dinheiro

Foto por Tim Mossholder via Unsplash

Como eu já comentei aqui, já tive minha fase de imaturidade com o dinheiro. Estou longe de ter uma relação perfeita com o dinheiro, mas já melhorei muito. E posso dizer o mesmo sobre a minha relação comigo mesma.

Quando era mais nova tinha uma certa cobrança com a aparência. Era muito comum pensar: “Quando eu tiver o tênis da moda vou me sentir mais bonita” ou “Preciso cortar o cabelo pra dar um up no visual” ou “Quando eu tiver dinheiro, vou colocar silicone e me sentir melhor com o meu corpo”. Aquele típico exemplo de acreditar que só seremos mais felizes quando conquistarmos alguma coisa.

Há alguns anos eu percebi que correr atrás da minha beleza era exaustivo pra mim. Até acredito que tem gente que fica feliz em encontrar a manicure toda semana, mas para mim era uma perda de tempo absurda. Tinha que marcar o horário no salão, às vezes atrapalhava algum outro compromisso e ainda tinha que ficar parada esperando a unha secar por um tempo. O pior de tudo: durava só uma semana, e na semana seguinte tinha que fazer tudo de novo. Comecei a reparar que eu simplesmente não reparava se as outras mulheres estavam com a unha feita ou não. Percebi que eu acho até mais higiênico unhas aparadas e limpas do que aquelas unhas enormes pintadas que escondem um monte de sujeira embaixo (se você não limpa direito, claro). E pior: que os homens não tinham esse gasto de tempo e dinheiro semanal e estavam todos bem, felizes e vivos. Uma vez li que brasileiro confunde vaidade com higiene. Achei isso fantástico! Me dei conta de que fazer a unha toda semana era uma vaidade que eu não precisava. Hoje mantenho minhas unhas limpas e aparadas. E ninguém morreu por conta disso, rs.

O melhor é que eu percebi que não me sentia bem no ambiente de Salão de beleza como um todo. Não sei se todos são assim, mas o que eu frequentava rolava muita fofoca e muita revista Contigo pro meu gosto. Um dia uma amiga chegou com um corte de cabelo novo, eu elogiei e ela falou “eu mesa cortei, aprendi no YouTube!”. No mesmo dia eu aprendi e cortei o meu também. Sim, eu corto meu próprio cabelo pro espanto de muita gente! E ninguém morreu por conta disso!

De combo ainda aprendi a limpar a minha sobrancelha, a pintar meus cabelos (não tenho tanto amor próprio assim a ponto de assumir meus fios brancos), e como não consegui aprender a fazer escova progressiva, abandonei e assumi o cabelo rebelde. Com mais alguns vídeos no YouTube aprendi que meu cabelo rebelde só precisava de uma técnica diferente de lavagem. E hoje não tenho progressiva, meu cabelo é elogiado por aí e ninguém morreu por conta disso!

Até que semana passada, estava com uma amiga e ela ligou para o salão para marcar “micropigmentação da sobrancelha e alongamento de cílios”. Ela disse que “não sabia mais viver sem isso” e me dei conta de como a indústria de beleza é maldosa com as mulheres! Tem gente que realmente acha que a vaidade é uma questão de sobrevivência. E não é!

Antigamente nenhuma sex symbol tinha silicone até surgir o silicone e você precisar de peitos grandes, redondos e empinados pra se sentir linda. As mulheres com os cabelos ondulados faziam sucesso até surgir a chapinha e só o cabelo liso ser aceito como sinal de beleza. E não faz muito tempo que mulheres com sobrancelha normais eram consideradas lindas até surgir a micropigmentação e agora só quem tem a sobrancelha perfeitamente delineada é considerada bonita. Acho até engraçado imaginar que agora toda mulher vai sair por aí como se tivesse de cílios postiços por conta dessa moda nova de alongamento dos cílios!

Algum tempo atrás eu não acharia isso engraçado mas sim desesperador porque significava que eu teria que fazer o mesmo! Mas eu não quero fazer o mesmo. Eu aprendi que não preciso fazer o mesmo. Minha beleza é natural e fico feliz que quando consegui meu dinheiro não tive coragem de colocar meu silicone. Já percebi que não importa o quanto você se dedique, sempre vai surgir uma moda nova que você-precisa-fazer pra se sentir linda. Sempre vai surgir alguma coisa nova que precisará de manutenção toda semana! Ao eliminar a obrigação de fazer as unhas toda semana, eu aprendi que qualquer rotina de beleza que precise do meu compromisso toda semana, ou todo mês, não é pra mim! Eu nem tento, nem pesquiso, nem me interesso!

Isso não é desleixo com a própria aparência, isso é amor próprio! Se você não tem, não é uma micropigmentação que vai conquistar por você!

E como esse é um blog sobre finanças, achei válido fazer as contas de quanto eu economizo por ano por me libertar dessa ditadura da beleza:

⁃ Manicure toda semana: 1.040 reais por ano;

⁃ Pedicure a cada 15 dias: 780 reais por ano;

⁃ Corte de cabelo 3 vezes por ano: 300 reais por ano;

⁃ Progressiva duas vezes por ano: 600 reais por ano;

⁃ Pintar o cabelo todo mês: 960 reais por ano;

⁃ Sobrancelha todo mês: 480 reais

TOTAL: 4.160 reais por ano!

Se eu ainda entrasse na onda da micropigmentação e alongamento de cílios dava pra adicionar no mínimo mais uns 600 reais por ano.

Ahh não vou nem comentar sobre gastos com penteado e maquiagem pra festas específicas, como casamento. Me arrumo sozinha e devo economizar mais de mil reais por ano também!

E aí? Bora treinar um pouco de amor próprio também e eliminar esses gastos?

17 Comentários

  • Muquirana

    Gente! Eu quero fazer um parênteses antes que alguém pense que a Elsa e eu somos duas barangas largadas ou brote um comentário machista aqui!
    Sim, nós somos limpinhas e cheirosas e bem arrumadas. A gente só se recusa a ser escrava da manicure, da escova progressiva e da micropigmentação. É como se vcs homens só fizessem a barba no barbeiro com navalha ou hidratassem a barba pra ficar macia e olhassem pros amigos q usam gilete em casa como aliens!

    • sempresabado

      Hahaha, boa Muquirana!
      Por enquanto nossos amigos da blogosfera foram todos simpáticos e abertos a isso!
      Mas sim, nosso caso é mais do tipo “nossa, jura que vc corta seu próprio cabelo?” E não do tipo “ahh, logo imaginei que esse corte aí você que fazia” rs

  • ABM

    Realmente Elsa, eh muito tempo que se gasta para fazer tudo isso com certa frequência… Eu desencanei disso tudo. Eh um buraco sem fundo. Tem um filme muito legal, “tootsie”, em que o Dustin Hofman se disfarça de mulher para conseguir trabalho como ator. Após um tempo, ele diz que está chocado como é caro e trabalhoso “manter as aparências ” como mulher.

    • sempresabado

      Não conhecia esse filme ABM! Vou assistir. Teve um que estreiou na Netflix que se chama “Não sou um homem fácil” com uma temática parecida. Mas achei muito besteirol!
      Adoro que você é das nossas, sempre se identifica com a gente!

  • AA40

    Uauuu que exemplo de frugalidade e mentalidade FIRE. Essa indústria da beleza é algo que sempre observei mas como não a usufruo nào comento, mas realmente estão de parabéns não só vc Muquirana como a Elsa tbm ! Abcs e avante estabelecendo o anti-establishment. !

    • sempresabado

      Realmente AA, os homens não fazem ideia do quanto isso é presente na vida das mulheres. Mas olhando de longe vc tb deve perceber que não faz sentido gastar meia hora por semana pintando unhas que não vão durar nem 5 dias! Rs

  • Frugalidade Hacker

    Oi, Elsa, estou surpreso que você está viva mesmo sem fazer micropigmentação nas sobrancelhas! (Na verdade, eu acho pouco atraentes sobrancelhas perfeitas.)

    Achei interessante sua menção ao fato de que os símbolos de beleza de antigamente não usavam botox, silicone, implantes etc. Será que as sex symbols de hoje seriam consideradas sex symbols de antigamente?, se sim, então hoje em dia apenas se ampliou o alcance à obtenção da beleza por meio do dinheiro & ciência; se não, nossa percepção de beleza apenas caminha de forma correlacionada ao poder aquisitivo (“aquilo mais caro é mais bonito”).

    Como quase tudo na vida, acho que a realidade da beleza, hoje, é resultado da segunda opção, com o agravante de que a indústria da beleza lucra a partir dessa falta de amor próprio feminino, que é um subproduto do machismo.

    Abraço e parabéns pela força de vontade.

    • sempresabado

      Hahaha FH, estou viva com sobrancelhas naturais! E eu tb não acho bonito essa moda nova…

      Gostei da sua observação e também concordo que a segunda opção deve ser verdadeira. Eu acho sim que beleza é um conceito relativo, e acho triste que as mulheres estão se padronizando demais. O mais triste é ver gente gastando dinheiro que não tem para parecer que tem… e mesmo assim não alcançar o amor próprio!

      Um abraço!

  • Miss Denarii

    Que post maravilhoso! Concordo 100%: é muito cruel a ditadura da beleza que pesa sobre as mulheres (ainda que elas não se deem conta disso). É absurdo o dinheiro que se gasta com estética e, principalmente, o TEMPO que se gasta com essas coisas (o dinheiro pode voltar, mas o tempo não).
    Há alguns anos também abri mão da manicure (só faço em ocasiões muito especiais, rs). Eu mesma faço minha sobrancelha e maquiagens para eventos. Só o cabelo que ainda corto e pinto fora de casa, mas a cada 2 ou 3 meses (a sociedade que aguente a minha raiz crescendo) e com muita dor no coração na hora de pagar.
    Tenho amigas que acham normal gastar uns mil reais para ir num casamento (contando vestido novo, cabelo + maquiagem). MILZÃO para ir a um evento!
    Parabéns pelo post!

    • sempresabado

      Obrigada Miss! Sempre bom ler comentários de pessoas que se identificam com o nosso estilo de vida. No dia a dia a gente parece um bicho estranho né? Bom saber que temos um lugar onde as pessoas nos acham normais, rs.
      E temos os mesmos tipos de amigas, rs. Tenho amiga usando cheque especial pra ir no Cabelereiro quando é convidada pra um casamento! Fico em choque!

  • Menos é Mais

    Muito legal seu post. Fui ao cabeleireiro somente 3 vezes na vida em 40 anos de existência. Faço tudo eu mesma. Nunca pintei as unhas, mas sempre tirava a cutícula. Sempre digo que minha maior liberação do padrão beleza foi parar de tirar a cutícula. Isso foi realmente libertado! A segunda libertação vai ser parar de pintar o cabelo.
    Corto meu cabelo e o cabelo do meu marido. O problema é que as vezes erro no corte e minhas amigas ficam querendo me levar ao salão para arrumar. Pra resolver, faço um penteado simples que disfarça o corte, elas até elogiam e esquecem que meu cabelo está torto kkkkk. Segue a vida e ninguém morreu por isso kkk

    • sempresabado

      Adorei seu depoimento!
      Estou tentando parar de tirar a cutícula tb, mas acho que pelos anos de costume, meus dedos elas ficam bem feias rs. Uma hora vão se acostumar, rs!
      Parabéns por viver a vida com os seus padrões 🙂

  • Érika

    Adorei esse post! Me descreveu perfeitamente. Sempre tive a maior preguiça de frequentar salão de beleza, acho o ambiente horrível, além do dinheiro que se gasta. Não pinto as unhas ou só faço o pé (quando quero), não pinto mais os cabelos, os brancos estão aí bem aparecidos (quando pintava fazia em casa eu mesma). Só cortar o cabelo que ainda não consigo, faço pequenas coisas mas corte mesmo não consigo, esse tenho que pagar, mas é só umas 2 vezes por ano, então tá ok. A sociedade é cruel com as mulheres, com a aparência sendo esmiuçada por gente que não tem o que fazer. Eu dei uma bela banana pra eles!

    • sempresabado

      Hahahaha boa Érika! Melhor coisa é dar uma banana pra quem quer nos pregar certos padrões de beleza.
      A gente vive numa sociedade muito condicionada às aparências né, parabéns por tb conseguir superar isso!

  • Camis

    Kkk…pra variar mais um post “espelho de mim”…. muito igual nossas opiniões, adorando, não me sinto mais “A Estranha” no mundo…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.