Elsa,  Gastos

Renegociei meu financiamento imobiliário

Minha taxa de financiamento imobiliário caiu de 9,5% para 8,8% com duas ligações. Foi incrível!

Em 2015 eu comprei meu apartamento. Naquela época eu não consegui acessar as taxas super baixas da Caixa Econômica e acabei fazendo meu financiamento pelo Itaú mesmo, que era meu banco na época então era bem conveniente para mim. Como vocês sabem, foi só depois de comprar meu apartamento que eu realmente comecei a dar valor ao dinheiro então hoje a conveniência não vem mais na frente da economia, rs.

Desde então eu já tinha pensado em renegociar a minha taxa. O processo que me informaram para a renegociação era: arranjar um banco que te oferecesse uma taxa melhor e ameaçar seu banco atual a fazer a portabilidade caso eles não igualassem a taxa.

Eu até tentei fazer isso, mas só tinha conseguido taxas um pouco abaixo da minha, que era de 9,5% ao ano. Uma vez a Caixa me ofereceu 9,2%, o Santander 9,0%. Essas taxas menores, no entanto, não compensavam os custos da portabilidade. Como há uma custo de avaliação do imóvel e de cartório, a portabilidade não compensava a taxa menor. E pior: eu tinha lido em algum lugar que precisaria pagar o ITBI para fazer a portabilidade, que é 3% do valor do imóvel em São Paulo, uma facada! Então eu até ameaçava o Itaú com essas taxas menores, mas minha ameaça nunca era crível.

Até que semana passada vi a campanha do Santander num ponto de ônibus: financiamento imobiliário a taxas de 7,99%, uma taxa realmente abaixo da minha.

Liguei no Santander e descobrir que para fazer a portabilidade eu teria que pagar:

⁃ Avaliação imóvel: R$ 3.100,00

⁃ Despesas em cartório:  averbação de matricula (depende do cartório, mas pelo que pesquisei para o meu apartamento seria algo em torno de mil reais)

Além disso ele me informou que eu não teria que pagar o ITBI.

Aí sim eu vi vantagem! Como a minha parcela inicial iria cair em torno de R$400, percebi que em 10 meses eu pagava os custos da portabilidade.

Antes de mudar, eu liguei pro Itaú, mas dessa vez minha ameaça de portabilidade era muito mais crível. Primeiro porque de fato eu tinha uma taxa realmente menor e segundo porque eu estava realmente disposta a fazer a portabilidade então pedi urgência na minha renegociação. Não precisei nem enviar a proposta do Santander para eles, e no dia seguinte já me retornaram dizendo que tinham reduzido minha taxa de 9,5% para 8,8%. Simples assim, com duas ligações, uma pro Santander e outra pro Itaú, minha parcela mensal já reduziu em R$200!

Ainda estou avaliando se faço a portabilidade pro Santander e reduzo mais em R$200 minha parcela. O que estou avaliando é que agora eu levaria 20 meses pra pagar os custos de cartório e que talvez essas taxas possam cair mais ainda. Lembro em 2013 quando tinha banco oferecendo financiamento imobiliário a 7,5%, acho que podemos revisitar esses valores no curto prazo. Aí vai compensar ainda mais ter esses custos de portabilidade com essas taxas. Se a portabilidade fosse sem custo, aí não tinha nem o que pensar!

O que me surpreendeu foi que a minha renegociação com o Itaú foi realmente sem custos. São R$200 a menos por mês, de fato! Como toda pessoa frugal, podem imaginar minha alegria não?

E vocês? Já tentaram portabilidade de crédito alguma vez? Tem mais alguma informação que estou esquecendo de avaliar?

4 Comentários

  • Jorge

    Olá!

    Conheço o blog há poucos meses, fiquei surpreso de saber que você tem um apartamento financiado. Eu tenho capital para comprar um apartamento a vista, porém ainda pago aluguel, pois o dinheiro rendendo cobre o custo. Porém, com essa selic em tendência de baixa, tenho pensado que em algum momento talvez valha a pena comprar um apartamento à vista.

    Você poderia compartilhar comigo como decidiu

  • Jorge

    Olá!

    Conheço o blog há poucos meses, fiquei surpreso de saber que você tem um apartamento financiado. Eu tenho capital para comprar um apartamento a vista, porém ainda pago aluguel, pois o dinheiro rendendo cobre o custo. Porém, com essa selic em tendência de baixa, tenho pensado que em algum momento talvez valha a pena comprar um apartamento à vista.

    Você poderia compartilhar comigo como decidiu comprar? Você tinha que dinheiro a vista e preferiu financiar?

    Abraços!
    Jorge Amadeu

    • sempresabado

      Oi Jorge!
      Ainda vou escrever um post sobre porquê pra mim fez sentindo comprar.
      Mas resumindo, eu queria um apartamento em uma localização específica (que desse para ir a pé pro meu trabalho). E nessa região, os preços dos aluguéis são bem absurdos!
      Hoje eu até conseguiria quitar meu financiamento, mas prefiro não fazer porque uso meu FGTS todo ano para pagar minha parcela. Meu FGTS paga mais de 1/3 dos juros da parcela, então na real, eu pago um juros bem baixo dado que consigo tirar o dinheiro do FGTS que só rende 3% ao ano!
      Já vi vários blogs debatendo sobre o tema, mas eu realmente acho que o FGTS muda as contas e pode tornar a compra do imóvel mais vantajosa!
      Abs

  • Raphael

    Olá SS!

    Também fiz portabilidade, mas saí da Caixa (taxa de 10,5) para o banco inter (taxa de 9,5). Tentei negociar na Caixa para que reduzissem os juros do meu contrato, já que estavam oferecendo aos clientes novos taxa de 8,5% a.a., mas não rolou..

    A grande vantagem do banco inter, foi que eles pagaram todas as despesas! Não desembolsei com avaliação e nem com cartório!

    A desvantagem, que acredito não ter como escapar, é juntar toda a papelada como se fosse fazer um financiamento novo. Mesmo assim consegui resolver tudo pelo zap, e só tive que ir até a sede do banco na hora da assinatura do contrato.

    Resultado: R$ 100 a menos nas prestações 🙂

    Parabens pelo excelente blog!

Deixe uma resposta para Jorge Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.