Muquirana,  Qualidade de Vida,  Reflexões

Vida de Gado

Photo by Victor Rodriguez on Unsplash

Um dia dessa semana estava parada na bicicleta a caminho do trabalho esperando o sinal abrir quando vi uma horda de pessoas atravessando a rua saindo do terminal de ônibus. Todo mundo indo para o “sirvisso” bem cedinho, atravessando a rua numa massa de pessoas a caminho do trabalho.

Fiquei pensando por que as pessoas vivem apinhadas em uma cidade grande cheia de barulho, poluição e outras mazelas causadas pelo excesso de gente. Rapidamente veio a resposta “duuur, porque precisam! Igual a mim!” Na cidade onde nasci é praticamente você ficar rico sendo funcionário. Ou é dono de alguma coisa de sucesso e vai pra frente ou passa a vida ganhando pouco. Nos grandes centros a concentração de riqueza faz com que surjam mais oportunidades de trabalho, permitindo aos que estejam lá ganharem mais. O custo em termos de qualidade de vida é alto. Vocês já devem estar cansados de lerem minhas reclamações sobre barulho e baixa qualidade do sono.

Passei o resto do caminho pensando que quando muitos ficaram ricos eles se retiraram dos grandes centros e foram morar em lugares mais tranquilos. Warren Buffett deixou NY e voltou para Omaha, Bill Gates mora numa casa no meio do mato, Jorge Paulo Lemann escolheu o bucolismo da Suíça, dentre outros. Claro que há tantos outros muitos ricos que vivem nos grandes centros, mas entendo perfeitamente quem escolhe ter mais paz e menos gente em volta. A Muquirana espera poder se realocar para uma casa sem vizinhos na costa da Europa muito em breve e fazer um detox mental de barulho.

Conversei com a Elsa a respeito e ela tem uma visão diferente. Na cidade grande pode ir a vários eventos e exposições interessantes e grátis. Isso é inegável. Para solteiros e casais sem filhos a vida em um centro urbano é muito mais estimulante. Na minha fase atual com uma criança pequena eu me contentaria com áreas verdes e parquinhos com brinquedos altos e desafiadores o suficiente para descarregar a energia de uma criança.

Outro aspecto da vida de gado que em breve vai sumir é a pressão social para almoçar com os colegas. Tenho uma certa aflição de ver as pessoas sairem em bando para comer. É diferente de sair com um grupo de amigos, onde todos têm intimidade. Normalmente busco o baby Muquirano na escola e almoço em casa, ou então vou para a academia, mas alguns dias acabo ficando no escritório e sempre surge um convite para almoçar. Até gosto de sair com uma ou duas pessoas, mas almoços em grupo são mortais para mim.

 Não que eu não goste das pessoas, pelo contrário, mas o almoço é um momento de descanso e quando as pessoas saem em grupo normalmente o tema central acaba sendo trabalho. Nessa reta final para a independência financeira estou tentando diminuir a importância do tema trabalho na minha mente e me concentrar nele apenas nos momentos necessários. Espero ir aos poucos ir me desgarrando do rebanho.   

Na vida do trabalho compulsório muitas vezes nossa individualidade é completamente anulada. Escritórios abertos, privacidade zero ao telefone e convivência contínua com colegas. Só quem vive esse mundo sabe como as vezes a única coisa que desejada é paz e silêncio por 10 minutos. Essa convivência contínua me lembra a música admirável gado novo do Zé Ramalho. Para quem nao conhece a letra veja aqui. Não sei se isso é paranoia minha, mas gostaria de ouvir se mais gente se sente assim nessa vida de gado.

14 Comentários

  • Executivo Investidor

    Eu já prefiro um meio termo. Moro numa cidade média, mas com muita natureza ao redor, coisa que eu e a Sra Executiva gostamos muito. Muita trilha, parques, lago, tudo grátis. Mas só mesmo tempo com aeroporto com voo para todo canto e relativamente próximo a grandes centros (3hs). Isso é realmente muito pessoal, então cada um tem que escolher o que mais se identifica, aliás essa é uma das grandes vantagens da vida FIRE! Poder fazer e morar onde quiser!
    Abs

    http://www.executivoinvestidor.com

    • sempresabado

      Concordo com vc EI. Estou estudando 3 cidades médias com bastante natureza perto para a realocação na época Fire. A única restrição que temos é não termos vizinhos por perto rs.. nada de apartamentos ou casas geminadas. Acho a qualidade de vida na cidade grande baixa e acho que ia sentir falta de umas coisas em cidades muito pequenas. Se eu conseguir uma vista pra um lago como vc tem vou ficar extremamente feliz!

    • também escolheria um meio termo. por exemplo, morar em potsdam, a 30 min de trem do centro de berlim, que é minha cidade européia preferida. ahh, sonho meu… kkk

      • sempresabado

        Legal, não conheço Berlim mas ele plano de cidade média bem conectada a um lugar grande parece muito bom. Nunca considerei os países que falam alemão porque estudei a língua por 5 anos e era um fiasco completo!! Muito diffffficil. Rsrs

        • também não falo, mas a cidade (e os grandes centros do país) funciona muito bem com o inglês. o alemão acaba entrando por osmose com o tempo.

  • Vagabundo

    Eu penso no futuro morar em algum desses condomínios de casas no interior de sao paulo, a 1 ou 2 horas da capital. Tem um monte de cidades médias nessa região. Meu único medo é ficar isolado e sem vida social, trancado no condomínio.

    • sempresabado

      Já pensei nisso tb caso tenha que ficar no Brasil. Cidades perto de SP como Jundiaí, vinhedo, Valinhos. Acho que é agradável e tranquilo. Sobre o isolamento pelo menos é mais perto da família no Brasil do que a Europa.

  • Michelle Lyma

    Também não gosto de almoçar em bando com os colegas de trabalho. Ou só falam de trabalho, ou fica cada um olhando para o próprio celular. Meu sonho FIRE é morar no interior, quero ter sossego e ficar longe da agitação de cidades grandes.

    • sempresabado

      que bom ter uma companheira nisso Michelle! eu vejo que uma colega já me sacou que sempre recuso o convite e vejo que ela me olhar com um olhar de reprovaçao. 🙂
      um abraço!

  • ABM

    A sensaçao é que em uma cidade menor vc tem mais controle sobre varios aspectos da sua vida, mesmo se vc tem um trabalho formal. Sem as amarras de um trabalho, fica ainda melhor. O detox da cidade grande vale a pena! E com criança realmente eh uma opçao tao mais saudvel. Espero que em breve vc esteja curtindo esta nova fase!

    • sempresabado

      olá ABM! estamos aqui no meio do Brasil, fugidos do corona, dando um detox do caos. claro que trabalhando de casa, na medida do possivel é bem melhor pra balancear a vida, mas ficou um gostinho muito bom de que mesmo com o mundo parado e as pessoas trabalhando muito menos ninguém morreu! espero que em breve isso possa ser parte da vida normal.

  • Poupador do Interior

    Eu acho que a melhor opção é sempre uma vida em um lugar mais tranquilo, algo que permita a nós diminuirmos o ritmo diário. No mundo moderno criou-se o conceito de vida frenética, mas não somos ‘super-humanos’ e nosso corpo tem limitações, essa vida moderna veio em uma velocidade muito maior do que a evolução humana foi capaz de se desenvolver no período, logo é explicável os dados na saúde humana a longo prazo.

    A vida no campo ou em alguma pequena cidade, que fique à no máximo 1 hora de distância de uma cidade maior onde podemos encontrar saúde, educação e outros serviços diversos é o que me parece adequado. Eu moro no interior do sul do Brasil em uma cidade pequena (pequena mesmo!) e digo que é o melhor cenário para o FIRE, o custo de vida é baixo e se você morar relativamente próximo de uma cidade maior com essas características vai encontrar uma boa vida.

    Eu crítico aqueles que acham que apenas às metrópoles são lugares com acesso a serviços e produtos diversos e de qualidade, pra mim não é preciso morar em uma capital como São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Curitiba ou Porto Alegre, basta alguma cidade na faixa de 400k-600k que você já vai encontrar praticamente tudo o que precisa. Aqueles que não se acostumam com cidades muito pequenas podem escolher essas cidades médias e desfrutar de uma boa qualidade de vida.


    Sobre sair para comer com colegas de trabalho, acho uma das coisas mais bizarras do mundo, ainda mais quando alguém no almoço tem hierarquia superior, o que era pra ser um almoço se torna apenas uma sessão de puxa-saquismo.

    https://poupadordointerior.blogspot.com/

    • sempresabado

      olá Poupador, legal ter conseguido parar só agora no meio da quarentena pra te responder. concordo 100%. fugimos para o interior e estou vendo que da pra ter uma vida bem mais normal. eu já era bem convencida, mas agora sou muito convicta de que numa cidade grande acabamos muito vulneráveis por estarmos muito aglomerados e interdependentes. Numa situaçao de caos, como agora, estar numa cidade menor dá mais probabilidade de se manter saudável e sao!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.